Literatura médica e a ética em pesquisa: desafios para a prevenção quaternária

  • Hamilton Lima Wagner Prefeitura Municipal de Curitiba, Paraná,
  • Cynthia Ramos Soares Secretaria Municipal de Saúde. Curitiba, PR,
  • João Victor Moreira Secretaria Municipal de Saúde. Curitiba, PR,
Palavras-chave: Prevenção Quaternária, Pesquisa Biomédica, Ética, Conflito de Interesses.

Resumo

Este artigo discute a qualidade das evidências científicas publicadas no campo da medicina. Atualmente, existe uma dificuldade em avaliar a qualidade dessas publicações, visto que grandes ensaios clínicos são patrocinados pela indústria da saúde, em especial a indústria farmacêutica, a qual exige cláusula de confidencialidade dos dados brutos obtidos nas pesquisas. Isso gera importantes repercussões tanto para a prática dos profissionais de saúde como para a produção de diretrizes de atenção à saúde. Diante dessa incerteza de informações em saúde, a prevenção quaternária surge como uma proposta para fortalecer a relação médico-paciente como espaço para atividades preventivas e outras ações em saúde .

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Hamilton Lima Wagner, Prefeitura Municipal de Curitiba, Paraná,
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul(1980), especialização em Saúde Coletiva - Gerencia de Unidades de Saúde pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná(1996), especialização em Saúde Coletiva - Enfase em Saúde da Família pela Universidade Federal do Paraná(1998), especialização em Medicina de Família pela Faculdade Evangélica do Paraná(2003), mestrado em Princípios da Cirurgia pela Faculdade Evangélica do Paraná(2003) e residencia-medicapela Hospital de Clínicas de Porto Alegre(1982). Atualmente é Membro de corpo editorial da Revista de APS e Membro de corpo editorial da Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/9237492571873063

Referências

Sackett DL, Straus SE, Richardson WS, Rosenberg W, Haynes RB. Evidence-based medicine. New York: Churchill Livingstone; 1997.

Moynihan R, Doran E, Henry D. Disease mongering is now part of the global health debate. PLoS Med. 2008;5(5):e106. http://dx.doi.org/10.1371/journal.pmed.0050106. PMid:18507498.

Gøtzsche PC. Deadly medicines and organised crime: how big pharma has corrupted healthcare. Cornwall: Radcliffe Publishing; 2013.

Every-Palmer S, Howick J. How evidence-based medicine is failing due to biased trial and selective publication. J Eval Clin Pract. 2014;20:908–914.

Greenhalgh T, Howick J, Maskrey N. Evidence based medicine: a movement in crisis? BMJ. 2014; 348:g3725. http://dx.doi.org/10.1136/bmj.g3725. PMid:24927763.

Akst J. Dealing with irreproducibility. The Scientist: Exploring Life, Inspiring Innovation [Internet]. 2014. [acesso em 2015 Oct 18] Disponível em: http://www.the-scientist.com/?articles.view/articleNo/39654/title/Dealing-with-Irreproducibility/

Brynner R, Stephens T. Dark remedy: the impact of thalidomide and its revival as a vital medicine. New York: Perseus Publishing; 2001.

Heres S, Davis J, Maino K, Jetzinger E, Kissling W, Leucht S. Why olanzapine beats risperidone, risperidone beats quetiapine, and quetiapine beats olanzapine: an exploratory analysis of head-to-head comparison studies of second-generation antipsychotics. Amer J of Psychiatry. 2006(163):185-194.

Fletcher RH, Fletcher S. Epidemiologia clínica. Porto Alegre: Artmed; 2006.

Ioannidis JPA. Why most published research findings are false. PLoS Med. 2005;2(8):e124. http://dx.doi.org/10.1371/journal.pmed.0020124.

Senn S. Three things that every medical writer should know about statistics. The Write Stuff. 2009; 18(3):159-162. [acesso em 2015 June

Disponível em: http://eprints.gla.ac.uk/8107/1/id8107.pdf

Dear JW, Webb DJ. Disease mongering -- a challenge for everyone involved in healthcare. Br J Clin Pharmacol. 2007;64(2):122-124. http://dx.doi.org/10.1111/j.1365-2125.2006.02830.x. PMid:17214830.

Gérvas J, Pérez-Fernández MP. Sano y Salvo y libre de intervenciones médicas innecesarias. Barcelona; Los Libros del Lince; 2013.

St-Onge JC. Tous fous? Montreal: Écosociété; 2013.

Goroll AH, May LA, Mulley AG, editores. Prymare care medicine. Philadelphia: JB Lippincott; 1995.

Weiss BD, editor. 20 commom problems in primary care. San Antonio: McGraw-Hill; 1999. p. 79-120.

Oliveira JEP, Vencio S, editors Diretrizes da sociedade brasileira de diabetes. São Paulo: AC Farmacêutica; 2015. 116 p.

Vijan S, Sussman JB, Yudkin JS, Hayward RA. Effect of patients’ risks and preferences on health gains with plasma glucose level lowering in type 2 diabetes mellitus. JAMA Intern Med. 2014;174(8):1227-1234. http://dx.doi.org/10.1001/jamainternmed.2014.2894. PMid:24979148.

Jamoulle M, Berstein J, Pizzanelli Baez M, Silva A, Wagner H. Prévention quaternaire: un concept fondé sur le temps et la relation. Deuxième partie. L’étonnante diffusion internationale du concept. Médecine. 2014(10)2:75-77. http://dx.doi.org/10.1684/med.2014.1066.

Jamoulle M. Quaternary prevention, an answer of family doctors to overmedicalization. Intern J Health Policy Manag. 2015;4(2).61-64. http://dx.doi.org/10.15171/ijhpm.2015.24.

Publicado
2015-06-24
Como Citar
Wagner, H. L., Ramos Soares, C., & Moreira, J. V. (2015). Literatura médica e a ética em pesquisa: desafios para a prevenção quaternária. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 10(35), 1-4. https://doi.org/10.5712/rbmfc10(35)1116