Perfil de usuários com prescrição de omeprazol em uma Unidade Básica de Saúde do Sul do Brasil: considerações sobre seu uso racional

  • Priscila Hipólito Faculdade de Farmácia Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Bruno Simas da Rocha Seção de Farmácia Clínica Hospital de Clínicas de Porto Alegre
  • Francisco Jorge Arsego Quadros de Oliveira Departamento de Medicina Social Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Palavras-chave: Omeprazol, Prescrições de Medicamentos, Unidade Básica de Saúde

Resumo

Introdução: Os inibidores da bomba de prótons (IBPs) são uma das classes terapêuticas mais prescritas no mundo, sendo omeprazol o representante nas listas de medicamentos essenciais. Estudos indicam que o uso a curto prazo dos IBPs pode ser seguro, apesar de estar relacionado efeitos adversos a longo prazo. Objetivo: Avaliar o perfil dos usuários com prescrição de omeprazol em uma Unidade Básica de Saúde (UBS), relacionando com tempo de uso, dose e indicação. Métodos: Estudo transversal no qual foram avaliados os prontuários de usuários com prescrições de omeprazol atendidas no mês de maio de 2014 pela farmácia de uma UBS. Resultados: Foram incluídos no estudo 349 pacientes, sendo 75,4% do sexo feminino. A média de medicamentos prescritos por pacientes foi de 4,5 e a idade média de 64,6 anos. A dose de 20mg foi encontrada em 69,8% dos usuários, 84,3% tem prescrição mais de seis meses, e a doença do refluxo e a úlcera gástrica foram as indicações mais citadas; 29,5% dos pacientes não tinham registro de motivo de uso do omeprazol. Conclusão: O maior tempo de uso do omeprazol está associado com maior idade e número de medicamentos prescritos, podendo estes fatores estarem relacionados com o uso irracional de omeprazol, por vezes sem justificativa em prontuário e com tempo prolongado de uso.

Metrics

Carregando Métricas ...

Referências

Chen J, Yuan YC, Leontiadis GI, Howden CW. Recent safety concerns with proton pump inhibitors. J Clin Gastroenterol.

;46(2):93-114. DOI: http://dx.doi.org/10.1097/MCG.0b013e3182333820

Micromedex® Truven Health Analytics. V.2.0. DRUGDEX System. The Healthcare Business of Thomson Reuters, 2015.

[acesso 8 Ago 2015]. Disponível em: http://www.micromedexsolutions.com/home/dispatch

Wolters Kluwer. Omeprazole: Drug Information. In: Up To Date. [acesso 10 Ago 2015]. Disponível em: http://www.uptodate.

com/contents/omeprazoledruginformation?source=search_result&search=omeprazole&selectedTitle=1%7E150

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência

Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Uso Racional de Medicamentos: temas selecionados. Brasília: Ministério da Saúde;

Brasil. Ministério da Saúde. Relação Nacional de Medicamentos Essenciais: RENAME 2014. 9a ed. Brasília: Ministério da

Saúde; 2015.

World Health Organization. WHO Model List of Essential Medicines. [acesso 4 Ago 2015]. Disponível em: http://www.who.

int/selection_medicines/list/en/

Hoefler R, Leite BF. Segurança do uso contínuo de inibidores da bomba de prótons. Farmacoterapêutica. 2009;14(1-2):1-3.

Lima APV, Neto Filho MA. Efeitos em longo prazo de inibidores da bomba de prótons. Braz. J Surg Clin Res. 2013:5(3):45-9.

Caricol FC. Seguridad del omeprazol: ¿es adecuada la duración de los tratamientos? Farm Comunitarios. 2015;7(1):5-9.

Wilhelm SM, Rjater RG, Kale-Pradhan PB. Perils and pitfalls of long-term effects of proton pump inhibitors. Expert Rev

Clin Pharmacol. 2013;6(4):443-51. DOI: http://dx.doi.org/10.1586/17512433.2013.811206

García Rodríguez LA, Ruigómez A, Panés J. Use of acid-suppressing drugs and the risk of bacterial gastroenteritis. Clin

Gastroenterol Hepatol. 2007;5(12):1418-23. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.cgh.2007.09.010

Souza IKF, Silva AL, Araújo Júnior A, Santos FCB, Mendonça BPCK. Análise qualitativa das alterações anatomopatológicas

na mucosa gástrica decorrentes da terapêutica prolongada com inibidores da bomba de prótons: estudos experimentais

x estudos clínicos. Arq Bras Cir Dig. 2013;26(4):328-34. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202013000400015

Yanagihara GR, de Paiva AG, Neto MP, Torres LH, Shimano AC, Louzada MJ, et al. Effects of long-term administration of

omeprazole on bone mineral density and the mechanical properties of the bone. Rev Bras Ortop. 2015;50(2):232-8. DOI:

http://dx.doi.org/10.1016/j.rbo.2014.05.012

Menegassi VS, Czeczko LEA, Czekzo LSG, Ioshi SO, Pisani JC, Ramos Junior O. Prevalência de alterações proliferativas

gástricas em pacientes com uso crônico de inibidores de bomba de prótons. Arq Bras Cir Dig. 2010;23(3):145-9. DOI:

http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202010000300003

Ameijeiras AH, González BC, Zúñiga VL. Prevalencia de prescripción-indicación de protectores gástricos en pacientes

hospitalizados. Gac Sanit. 2007;21(5):412-5. DOI: http://dx.doi.org/10.1157/13110449

Palazón EM, Moreno CB. Inhibidores de la bomba de protones, ¿la protección mal entendida? FMC Form Med Contin

Aten Prim. 2011;18(5):243-5.

Centro de Informação sobre Medicamentos. Uso Racional de omeprazol. Alerta terapêutico – Junho 2009. [acesso 10 Ago

. Disponível em: http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/saude/arquivos/assistenciafarmaceutica/omeprazol.pdf

Patterson SM, Cadogan CA, Kerse N, Cardwell CR, Bradley MC, Ryan C. Interventions to improve the appropriate use of

polypharmacy for older people. Cochrane Database Syst Rev. 2014;10:CD008165.

Schroeter G, Chaves LL, Engroff P, Faggiani FT, DE Carli GA, Morrone FB. Estudo de utilização de anti-ulcerosos na

população Idosa de Porto Alegre, RS, Brasil. Rev HCPA. 2008;28(2):89-95.

López-Dóriga Bonnardeaux P, Neira Álvarez M, Mansilla Laguía S. Inhibidores de la bomba de protones: estudio de

prescripción en una Unidad de Recuperación Funcional. Rev Esp Geriatr Gerontol. 2013;48(6):269-71. DOI: http://dx.doi.

org/10.1016/j.regg.2013.07.004

Rozenfeld S. Prevalência, fatores associados e mau uso de medicamentos entre os idosos: uma revisão. Cad Saúde

Pública. 2003;19(3):717-24. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000300004

Moraes-Filho JP, Chinzon D, Eisig JN, Hashimoto CL, Zaterka S. Prevalence of heartburn and gastroesophageal reflux

disease in the urban Brazilian population. Arq Gastroenterol. 2005;42(2):122-7. PMID: 16127569 DOI: http://dx.doi.

org/10.1590/S0004-28032005000200011

Chang P, Friedenberg F. Obesity and GERD. Gastroenterol Clin North Am. 2014;43(1):161-73. PMID: 24503366 DOI: http://

dx.doi.org/10.1016/j.gtc.2013.11.009

Haastrup P, Paulsen MS, Begtrup LM, Hansen JM, Jarbøl DE. Strategies for discontinuation of proton pump inhibitors: a

systematic review. Fam Pract. 2014;31(6):625-30. DOI: http://dx.doi.org/10.1093/fampra/cmu050

Publicado
2016-04-26
Como Citar
Hipólito, P., Rocha, B. S. da, & Oliveira, F. J. A. Q. de. (2016). Perfil de usuários com prescrição de omeprazol em uma Unidade Básica de Saúde do Sul do Brasil: considerações sobre seu uso racional. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 11(38), 1-10. https://doi.org/10.5712/rbmfc11(38)1153
Seção
Artigos de Pesquisa