Rumo à educação baseada em competências: construindo a matriz do internato em Medicina de Família e Comunidade

Angela Jornada Ben, José Mauro Ceratti Lopes, Carmen Vera Giacobbo Daudt, Maria Eugênia Bresolin Pinto, Mônica Maria Celestina de Oliveira

Resumo


Objetivo: Elaborar a matriz de competências a serem desenvolvidas pelos estudantes durante os três meses de estágio no internato em Medicina de Família e Comunidade na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Métodos: Foi realizada revisão de literatura sobre o referencial teórico do ensino baseado em competências sobre escolas médicas que utilizassem o ensino baseado em competências na especialidade e sobre as principais diretrizes nacionais e internacionais sobre o tema. Diante da revisão de literatura, foi discutida a aplicabilidade das recomendações no contexto do internato da UFCSPA. Resultados: Dezoito competências foram elaboradas e divididas em quatro eixos: Geral; Abordagem Individual; Abordagem Familiar e Abordagem Comunitária. Cada competência foi detalhada em um ou mais componentes. Para cada componente, foram identificados os métodos de ensino e de avaliação atualmente utilizados no programa do internato. Conclusão: Com a definição da matriz, as competências, antes desenvolvidas de forma intuitiva, foram organizadas de modo a viabilizar a revisão e adequação dos processos de ensino e avaliação.


Palavras-chave


Educação Baseada em Competências. Educação Médica. Internato e Residência. Medicina de Família e Comunidade.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Gruppen LD, Mangrulkar RS, Kolars JC. The promise of competency-based education in the health professions for improving global health. Hum Resour Health. 2012;10:43. DOI: http://dx.doi.org/10.1186/1478-4491-10-43

Santos WS. Organização curricular baseada em competência na educação médica. Rev Bras Educ Médica. 2011;35(1):86-92. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022011000100012

Carraccio C, Wolfsthal SD, Englander R, Ferentz K, Martin C. Shifting paradigms: from Flexner to competencies. Acad Med. 2002;77(5):361-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1097/00001888-200205000-00003

Quintero GA. Medical education and the healthcare system--why does the curriculum need to be reformed? BMC Med. 2014;12:213.

World Health Organization. The world health report 2008: primary health care now more than ever. [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2008. [cited 2017 May 2]. Available from: http://www.who.int/whr/2008/whr08_en.pdf

Perrenoud P. Ensinar: agir na urgência, decidir na incerteza: saberes e competências em uma profissão. 2a ed. Porto Alegre: Artmed; 2001.

Scheffer M, Biancarelli A, Cassenote A. Demografia médica no Brasil 2015 [Internet]. Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP; Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo; 2015 p. 284. Report No.: ISBN: 978-85-89656-22-1. [cited 2017 May 2]. Available at: http://www.usp.br/agen/wp-content/uploads/DemografiaMedica30nov2015.pdf

Association for Medical Education in Europe (AMEE). Outcome-based education. No 14. Association for Medical Education in Europe. Dundee: AMEE; 1999.

Bollela VR, Machado JLM. Bridging the gaps [Internet]. Vol. 30. [cited 2016 Jun 26]. Available from: https://www.researchgate.net/profile/Valdes_Bollela/publication/259677053_Internato_Baseado_em_Competencias_Bridging_the_gaps_(2010)/links/0deec52d50c12c96db000000.pdf

Albanese MA, Mejicano G, Anderson WM, Gruppen L. Building a competency-based curriculum: the agony and the ecstasy. Adv Health Sci Educ Theory Pract. 2010;15(3):439-54. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s10459-008-9118-2

Schmal SR, Ruiz-Tagle AA. Una metodología para el diseño de un currículo orientado a las competencias. Ingeniare Rev Chil Ing. 2008;16(1):147-58. DOI: http://dx.doi.org/10.4067/S0718-33052008000100004

Risco de Domínguez G. Design and implementation of a competency-based curriculum for medical education. Rev Peru Med Exp Salud Publica. 2014;31(3):572-81.

Braid LMC, Machado MFAS, Aranha AC. State of the art of curriculum research relating to healthcare professional training courses: a survey on articles published between 2005 and 2011. Interface (Botucatu). 2012;16(42):679-92. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832012000300008

Campos JJB. Novos currículos de Medicina na FAMEMA e na UEL: uma construção permanente rumo à realidade presente e futura [Internet]. 2001 [cited 2016 Jul 3]. Available from: http://www.uel.br/ccs/olhomagico/v8n2/Joao2.htm

Feuerwerker LCM. Mudanças na educação médica e residência médica no Brasil. São Paulo: Hucitec; 1998. 190 p.

An International Association For Medical Education - AMEE [Internet]. [cited 2016 Dec 28]. Available from: https://www.amee.org/home

Allen S, Anim T, Anthony E, Araujo D, Beebe D, Dostal J, et al. The Family Medicine Milestone Project. The Accreditation Council for Graduate Medical Education and The American Board of Family Medicine [Internet]. 2015 [cited 2016 Jul 3]. Available from: https://www.acgme.org/Portals/0/PDFs/Milestones/FamilyMedicineMilestones.pdf

Medical Education - Initiatives - AAMC [Internet]. [cited 2016 Dec 28]. Available from: https://www.aamc.org/initiatives/meded/

Chair DT, Konkin J, Parsons E, Saucier D, Shaw L, Walsh A, et al. Canadian Medical Education (CanMEDS)-FamilyMedicine [Internet]. 2009. [cited 2017 May 2]. Available from: http://www.cfpc.ca/uploadedFiles/Education/CanMeds%20FM%20Eng.pdf

Core EPAs - Initiatives - AAMC [Internet]. [cited 2016 Dec 29]. Available from: https://www.aamc.org/initiatives/coreepas/

Zahlout AJM, Uzcátegui Z, Pérez-González JF. Exploración de un modelo de la competencia médica en alumnos de sexto año de la Escuela de Medicina “Luis Razetti”. Rev Fac Med. 2006;29(2):184-93.

Ribeiro ECO. A educação dos profissionais de saúde na América Latina: teoria e prática de um movimento de mudança. Interface (Botucatu). 2000;4(7):139-42. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832000000200014

Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 3, de 20 de junho de 2014. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. [Internet]. Ministério da Educação; 2014 [acesso 2016 Jun 25]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=15874-rces003-14&Itemid=30192

Lermen Junior N. Currículo Baseado em Competências para Medicina de Família e Comunidade. Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC) [Internet]. 2015. [acesso 2017 Maio 2]. Disponível em: http://www.sbmfc.org.br/media/Curriculo%20Baseado%20em%20Competencias(1).pdf

Moaveni A, Valin S, Hilderal V. Family and Communitty Medicine Clerkship. University of Toronto. [Internet]. 2014. [cited 2017 Maio 2]. Available from: http://dfcm.webservices.utoronto.ca/Assets/DFCM2+Digital+Assets/Family+and+Community+Medicine/DFCM+Digital+Assets/Undergraduate/HPD+Handbook+14.15.pdf

Tandeter H, Carelli F, Timonen M, Javashvili G, Basak O, Wilm S, et al. A ‘minimal core curriculum’ for Family Medicine in undergraduate medical education: a European Delphi survey among EURACT representatives. Eur J Gen Pract. 2011;17(4):217-20. DOI: http://dx.doi.org/10.3109/13814788.2011.585635

Franco CAGS, Cubas MR, Franco RS. Currículo de medicina e as competências propostas pelas diretrizes curriculares. Rev Bras Educ Méd. 2014;38(2):221-30. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022014000200009




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia