Processo de trabalho entre a Equipe de Atenção Básica e o Núcleo de Apoio à Saúde da Família

Isabelle Cristina Borba da Silva, Laís Alves Bernardino da Silva, Reíza Stéfany de Araújo e Lima, Jailson Alberto Rodrigues, Ana Maria Gondim Valença, Juliana Sampaio

Resumo


O Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) atua conjuntamente às Equipes da Atenção Básica (EqAB), sendo importante compreender o processo de trabalho entre essas equipes e o planejamento das ações conjuntas. Objetivo: Analisar, na Paraíba, a organização do processo de trabalho entre o NASF e as EqAB quanto ao acesso destas às equipes NASF e ao planejamento das ações conjuntas. Métodos: Estudo descritivo de recorte transversal, com abordagem quantitativa. Os dados foram obtidos do 2º Ciclo de Avaliação Externa do PMAQ-AB, realizado na Paraíba, e analisados descritivamente pelo software IBM SPSS Statistics 20.0. Resultados: 75,9% das EqAB articularam ações conjuntas com o NASF, no início das atividades de apoio; dentre essas, 85,0% conhece o cronograma de atividades do NASF. Quanto ao acesso, o tempo de atendimento à solicitação de apoio pela EqAB é avaliado positivamente por 81,1% dos respondentes e o compartilhamento de casos ocorre em sua maioria por escrito (70,6%), pelo agendamento direto de consultas para o profissional do NASF (54,9%) e em discussão de casos (54,3%). Conclusão: Há, entre as EqAB e equipe NASF, um planejamento inicial de ações conjuntas, definição de atribuições e de critérios de fluxo/encaminhamento, mas o planejamento dinâmico tende a ser menos frequente. Quanto ao acesso, há satisfação das EqAB com o apoio que recebem do NASF, mas predominam o encaminhamento por escrito e o agendamento direto como forma de compartilhamento de casos entre as equipes; a satisfação pode estar associada à divisão das demandas na AB.


Palavras-chave


Planejamento em Saúde. Estratégia Saúde da Família. Atenção Primária à Saúde.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família – NASF. [Internet]. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2008. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://sislex.previdencia.gov.br/paginas/66/MPS/2008/154.htm

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 2.488, de 21 de outubro de 2011. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes e normas para a organização da Atenção Básica, para a Estratégia Saúde da Família (ESF) e o Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) [Internet]. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2011. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt2488_21_10_2011.html

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Cadernos de Atenção Básica nº 39 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2014. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_39.pdf

Brasil. Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Série E. Legislação em Saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2012. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria GM Nº 1.654 de 19 de julho 2011. Institui no âmbito do Sistema Único de Saúde, o Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) e o Incentivo Financeiro do PMAQ-AB, denominado Componente de Qualidade do Piso de Atenção Básica Variável – PAB Variável [Internet]. Diário Oficial da República Federativa do Brasil; 2011. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt1654_19_07_2011.html

Pinto HA, Sousa ANA, Ferla AA. O programa nacional de melhoria do acesso e da qualidade da atenção básica: várias faces de uma política inovadora. Saúde Debate [Internet]. 2014;38(n.spe):358-72. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/sdeb/v38nspe/0103-1104-sdeb-38-spe-0358.pdf. DOI: http://dx.doi.org/10.5935/0103-1104.2014S027

Brasil. Ministério da Saúde. Histórico de Cobertura da Saúde da Família [Internet]. 2015. [acesso 2015 Out 28]. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/historico_cobertura_sf.php

Brasil. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Órgãos Estaduais de Estatística, Secretarias Estaduais de Governo e Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA. Paraíba – PB [Internet]. 2014 Jan [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/download/mapa_e_municipios.php?lang=&uf=pb

Sampaio J, Martiniano CS, Rocha AMO, Souza Neto AA, Oliveira Sobrinho GD, Marcolino EC, et al. Núcleo de apoio à saúde da família: refletindo sobre as acepções emergentes da prática. Rev Bras Ciênc Saúde. 2013;17(1):47-54.

Araújo MBS, Rocha PM. Saúde da família: mudando práticas? Estudo de caso no município de Natal (RN). Ciênc Saúde Coletiva. 2009;14(Supl.1):1439-52.

Nascimento DDG, Oliveira MAC. Reflexões sobre as competências profissionais para o processo de trabalho nos núcleos de apoio à saúde da família. Mundo Saúde. 2010;34(1):92-6.

Mângia EF, Lancman S. Núcleos de Apoio à Saúde da Família: integralidade e trabalho em equipe multiprofissional. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. 2008;19(2):i.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes do NASF: Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Série A. Normas e Manuais Técnicos/Caderno de Atenção Básica nº 27. [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. [acesso 2016 Nov 22]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad27.pdf

Lancman S, Gonçalves RMA, Cordone NG, Barros JO. Estudo do Trabalho e do Trabalhar no Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Rev Saúde Pública. 2013;47(5):968-75. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-8910.2013047004770

Sampaio J, Sousa CSM, Marcolino EC, Magalhães FC, Souza FF, Rocha AMO, et al. O NASF como dispositivo da gestão: limites e possibilidades. Rev Bras Ciênc Saúde. 2012;16(3):317-24.




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1433

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia