Eficácia do uso de corticoides tópicos no tratamento da fimose primária em crianças e adolescentes

Flávio Manuel Gomes Guimarães, Albino Monteiro Martins

Resumo


Introdução: A fimose primária é um problema frequente na consulta de saúde infantil, com prevalência de 11% aos 3 anos de idade. Objetivo: O objetivo desta revisão é avaliar a evidência da eficácia do uso de corticoides tópicos (CCT) na redução da limitação da retratilidade do prepúcio em crianças e adolescentes. Métodos: Pesquisa efetuada nas bases de dados National Guideline Clearing House, Canadian Medical Association Pratice Guidelines Infobase, Cochrane Library, DARE, Bandolier, Evidence Based Medicine Online, Trip Database Online e Pubmed, utilizando os descritores “Phimosis and steroids”. Pesquisaram-se normas de orientação clínica (NOC), meta-análises, revisões sistemáticas e ensaios clínicos aleatorizados e controlados (ECAC), nas línguas portuguesa, inglesa e espanhola. Foi usada a escala Levels of Evidence of Oxford Centre for Evidence Based Medicine. Resultados: Foram encontrados 148 artigos, dos quais 6 cumpriram os critérios de inclusão: 1 NOC e 5 ECAC. A orientação da Sociedade Europeia de Urologia Pediátrica publicada em 2013 recomenda o uso de CCT na fimose primária. Os ECAC incluíram no total 624 crianças e adolescentes entre os zero e os 15 anos. Foram testados diferentes CCT e esquemas terapêuticos. Verificou-se uma melhoria da retratilidade do prepúcio comparativamente com o placebo, com uma eficácia terapêutica dos CCT descrita entre 66% e 90%. Conclusão: Os estudos suportam a eficácia dos CCT no tratamento da fimose primária em crianças e adolescentes. No futuro é pertinente o desenho de estudos metodologicamente homogêneos e de maior dimensão para clarificar qual o melhor CCT e esquema terapêutico.


Palavras-chave


Corticosteroides. Fimose. Terapêutica. Criança. Adolescente.

Texto completo:

PDF/A

Referências


Gairdner D. The fate of the foreskin, a study of circumcision. Br Med J. 1949;2(4642):1433-7. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/bmj.2.4642.1433

Shim YH, Lee JW, Lee SJ. The risk factors of recurrent urinary tract infection in infants with normal urinary systems. Pediatr Nephrol. 2009;24(2):309-12. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s00467-008-1001-0

Phimosis and Paraphimosis [Internet]. 2016 [cited 2016 Dec 31]. Available from: http://emedicine.medscape.com/article/777539-overview#a4

Programa Nacional de Saúde Infantil e Juvenil. In: Norma da Direção-Geral da Saúde. Lisboa: DGS; 2013.

Pileggi Fde O, Vicente YA. Phimotic ring topical corticoid cream (0.1% mometasone furoate) treatment in children. J Pediatr Surg. 2007;42(10):1749-52. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.jpedsurg.2007.05.035

Nobre YD, Freitas RG, Felizardo MJ, Ortiz V, Macedo Jr A. To circ or not to circ: clinical and pharmacoeconomic outcomes of a prospective trial of topical steroid versus primary circumcision. Int Braz J Urol. 2010;36(1):75-85. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1677-55382010000100012

Ng WT, Fan N, Wong CK, Leung SL, Yuen KS, Sze YS, et al. Treatment of childhood phimosis with a moderately potent topical steroid. ANZ J Surg. 2001;71(9):541-3. DOI: http://dx.doi.org/10.1046/j.1440-1622.2001.02190.x

Kragballe K. Topical corticosteroids: mechanisms of action. Acta Derm Venereol Suppl (Stockh). 1989;151:7-10.

The Oxford 2011 Levels of Evidenc [Internet]. 2011 [cited 2017 Aug 11]. Available from: http://www.cebm.net/wp-content/uploads/2014/06/CEBM-Levels-of-Evidence-2.1.pdf

Esposito C, Centonze A, Alicchio F, Savanelli A, Settimi A. Topical steroid application versus circumcision in pediatric patients with phimosis: a prospective randomized placebo controlled clinical trial. World J Urol. 2008;26(2):187-90. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s00345-007-0231-2

Lund L, Wai KH, Mui LM, Yeung CK. An 18-month follow-up study after randomized treatment of phimosis in boys with topical steroid versus placebo. Scand J Urol Nephrol. 2005;39(1):78-81. DOI: http://dx.doi.org/10.1080/00365590410002519

Letendre J, Barrieras D, Franc-Guimond J, Abdo A, Houle AM. Topical triamcinolone for persistent phimosis. J Urol. 2009;182(4 Suppl):1759-63. DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.juro.2009.03.016

Lee JW, Cho SJ, Park EA, Lee SJ. Topical hydrocortisone and physiotherapy for nonretractile physiologic phimosis in infants. Pediatr Nephrol. 2006;21(8):1127-30. DOI: http://dx.doi.org/10.1007/s00467-006-0104-8

Tekgül S, Riedmiller H, Dogan HS, Erdem E, Hoebeke P, Kocvara R, et al. Guidelines on Pediatric Urology. European Society for Pediatric Urology Guidelines; 2013 [cited 2017 Aug 11]. Available from: https://uroweb.org/wp-content/uploads/22-Paediatric-Urology_LR.pdf




DOI: https://doi.org/10.5712/rbmfc12(39)1454

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2017 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia