Tuberculose na Atenção Primária à Saúde: estudo de uma área de alta incidência sob o enfoque da vigilância epidemiológica

Autores

  • Daniella Borges Machado Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul - PUCRS
  • Carmen Vera Giacobbo Daudt Associação Hospitalar Moinhos de Vento
  • Maria Eugênia Bresolin Pinto Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - UFCSPA
  • Daniela B. Freire Centro de Saúde-Escola Murialdo

DOI:

https://doi.org/10.5712/rbmfc6(18)149

Palavras-chave:

Tuberculose

Resumo

Resumo: a tuberculose continua sendo um problema de saúde pública no Brasil. A descentralização das ações de controle e o exercício da vigilância epidemiológica no âmbito da atenção primária à saúde têm importância destacada neste cenário. Porto Alegre é um município prioritário para o controle da tuberculose. Dentro dos municípios prioritários, existem áreas críticas ditas bolsões de tuberculose e dentro dos bairros existem também micro-áreas com densidade maior de casos. Objetivos: o objetivo geral deste estudo foi identificar os casos de tuberculose ocorridos em uma micro-área de pobreza considerada suspeita de ser um bolsão de tuberculose. Os objetivos específicos foram comparar dados obtidos por diferentes métodos de coleta, desenvolver uma investigação detalhada dos casos e seus contatos e verificar a existência de associações temporais e espaciais entre os casos. Materiais e Métodos: foi realizado um estudo de uma série de casos com base em um levantamento epidemiológico dos casos notificados ao SINAN entre 2000 e 2008 e feita uma comparação destas notificações com os casos identificados em um inquérito epidemiológico prévio. Para a busca de dados não disponíveis no banco do SINAN, foi realizada uma investigação epidemiológica de campo. Resultados: o coeficiente de incidência desta área restrita em 2005 foi 1550,39 ? 100.000 habitantes, 11 vezes maior do que na área total da gerência distrital e 14 vezes maior do que em toda a área da UBS. Escolaridade e renda dos participantes foram baixas, enquanto que a associação com alcoolismo e a situação de abandono do tratamento foram elevadas. A associação com HIV, diferentemente do que se observa no panorama geral da cidade, foi baixa. A investigação dos contatos ficou abaixo do preconizado. O índice da relação contatos/caso examinados foi registrado como zero em 12 das 21 notificações e em apenas 4 a meta mínima de examinar 4 contatos por caso foi atingida ou superada. Houve vários casos entre contatos domiciliares e também foram descritos contatos extra-domiciliares. Conclusões: estudos epidemiológicos diversos podem ter papéis complementares na execução das tarefas de vigilância. A implementação de ações para diminuir o impacto da tuberculose na saúde da população inclui diversos setores. A atenção primária à saúde ocupa um papel de destaque nesse cenário.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Daniella Borges Machado, Pontifícia Universidade do Rio Grande do Sul - PUCRS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999), Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade, pelo Centro de Saúde Escola Murialdo (2009) e Mestrado em Saúde Pública pela University of Minnesota (2004). Tem título de especialista pela Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (2009). Foi médica da Estratégia da Saúde da Família em Porto Alegre, RS. Atualmente é médica do Programa de Atendimento Domicilar do Hospital Nossa Senhora Conceição e Professora Assistente do Departamento de Sáude Coletiva da PUC-RS.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Carmen Vera Giacobbo Daudt, Associação Hospitalar Moinhos de Vento

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999) e mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Residência em Medicina de Família e Comunidade no Centro de Saúde Escola Murialdo (2005). Possui Título de Especialista em Medicina de Família e Comunidade obtido pela aprovação em concurso realizado pela Associação Médica Brasileira e Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (2005). Atualmente é Médica de Famíla do Centro de Atenção à Saúde da Fundação de Amparo Social do Hospital Moinhos de Vento, Professora Assistente do Departamento de Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do SUL (PUCRS) e aluna regular do Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da UFRGS, nível doutorado.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Maria Eugênia Bresolin Pinto, Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - UFCSPA

Possui graduação em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1994) e mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é professor assistente da Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Familia e Comunidade e Medicina do Esporte, atuando principalmente nos seguintes temas: medicina familia e comunitária, atividade física, saúde coletiva, atenção primária e medicina esportiva.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq.

Downloads

Publicado

2011-04-20

Como Citar

1.
Machado DB, Daudt CVG, Pinto MEB, Freire DB. Tuberculose na Atenção Primária à Saúde: estudo de uma área de alta incidência sob o enfoque da vigilância epidemiológica. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 20º de abril de 2011 [citado 13º de agosto de 2022];6(18):74. Disponível em: https://www.rbmfc.org.br/rbmfc/article/view/149

Edição

Seção

Resumos apresentados em Congressos