Abordagem centrada nas pessoas

  • Roa Ruben
  • Ana Carolina Diniz Oliveira
  • Leonardo Cançado Monteiro Savassi Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP
  • Lecticia Cabral de Souza
  • Ruth Borges Dias Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS
Palavras-chave: Medicina de Família e Comunidade, Processo saúde-doença, Assistência Centrada no Paciente, Relações Médico-Paciente

Resumo

A Medicina de Família e comunidade pressupõe um novo marco epistemológico que obriga também o uso de instrumentos e ferramentas que se correspondam com ela. Este modelo de atenção permite levar adiante uma consulta onde estejam presentes todas as categorias nas quais se expressa o processo saúde-doença. A Medicina de Família pretende combinar ambas visões e para isto oferece elementos para incorporar a moléstia como parte essencial da nossa sistemática de abordagem do paciente sendo o foco principal a abordagem por problemas, que nada mais é que aquilo que preocupa a pessoa, sua família ou o medico, ou a todos, e as vezes haverá moléstia, em outras doenças e em outras tantas ambas coexistirão. Sabe-se que o impacto de um problema de saúde sobre uma pessoa não só afeta a ela, mas também ao seu entorno. Este por sua vez pode atuar como origem ou perpetuador da crise, ou então servir para ajudar na resolução do conflito. Distintas ferramentas servem para o propósito de conhecer o contexto no qual a crise de saúde se desenvolve, tais como: genograma, ciclo vital individual e familiar. Toda vez que duas pessoas se comunicam, o acordo ou desacordo são variáveis possíveis. Narelação médico-paciente isto não é uma exceção. Os valores, crenças, sentimentos e informações de cada indivíduo são diferentes, e não necessariamente médicos e pacientes estão de acordo em vários pontos durante uma consulta. O objetivo é a necessidade de alcançar um mínimo de acordos para que esta consulta tenha efetividade terapêutica, sendo assim importante encontrar um território comum. As relações em geral envolvem poder, cuidado, sentimentos, confiança e objetivos. O objetivo neste tipo de relação deve ser obviamente compartilhado por ambos, e não pode ser outro que o de conseguir o maior grau de saúde para nosso paciente. Assim, nossa especialidade, considerada de baixa complexidade, transforma-se em uma especialidade de alta complexidade cognitiva, não havendo dúvidas que é muito mais fácil manejar um eletrocardiógrafo que uma consulta médica.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Roa Ruben
Especialista em Medicina Familiar, Secretário Executivo, Confederacion Iberoamericana de Medicina Familiar (1994-2003)., Consultor de OPAS em Evaluacion de Tecnologias Sanitarias. Magister em Epidemiologia.
Ana Carolina Diniz Oliveira
Médica de Familia e Comunidade, Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, Minas Geriais, Brasil.
Leonardo Cançado Monteiro Savassi, Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP

Coordenador do Programa de Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade da Secretaria Municipal d Saúde de Betim/MG; Médico da Colônia Santa Isabel da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais; Médico Pediatra da Unimed Betim/MG; Editor da Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (MFC); ============================================/====================================== Título de Especialista em Medicina de Família e Comunidade pelo MEC/ SBMFC; Título de Especialista em Pediatria pelo MEC/ Hospital Belo Horizonte; Especialização em Saúde da Família pelo MEC/UFMG/ESPMG; Mestre em Ciências da Saúde (Medicina II), área de concentração Saúde Coletiva, sub-área: Educação em Saúde do CPqRR/FIOCRUZ-MInas. Doutorando da mesma área e instituição ==============================================/====================================== Ex-presidente (2005-2007) da Associação Mineira de MFC. Diretor de Publicações (2008-2010) da Sociedade Brasileira de MFC. Presidente da Associação Médica de Betim 2009-2011. ==============================================/====================================== Membro do GRUPO DE PESQUISA EM HANSENÍASE da FHEMIG.

Currículo Lattes:http://lattes.cnpq.br/3650989593840814

Lecticia Cabral de Souza
Médica de Família e Comunidade
Ruth Borges Dias, Universidade José do Rosário Vellano - UNIFENAS
Possui graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais (1991), residência em pediatria e título de especialização em medicina de famíla e comunidade. Atualmente é professora da Universidade José do Rosário Vellano, presidente da Associação Mineira de Medicina de Família e Comunidade e gestora de promoção da saúde da Fundação FIAT. Tem experiência na área de Medicina social , com ênfase em medicina de família e comunidade.
Publicado
2009-11-17
Como Citar
Ruben, R., Oliveira, A. C. D., Savassi, L. C. M., Souza, L. C. de, & Dias, R. B. (2009). Abordagem centrada nas pessoas. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 4(16), 245-259. https://doi.org/10.5712/rbmfc4(16)162
Seção
Artigos de Pesquisa