A homeopatia na rede pública do Estado de São Paulo: facilitadores e dificultadores

  • Wania Maria Papile Galhardi Faculdade de Medicina de Jundiaí - SP Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp
  • Nelson Filice de Barros Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp
  • Ana Cláudia Moraes Barros Leite-Mor Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp
Palavras-chave: Saúde Pública, Homeopatia, Atenção à Saúde

Resumo

Introdução: O desafio da integralidade na atenção à saúde, como configuração funcional e estrutural do cuidado, levou a Organização Mundial da Saúde a propor a incorporação das Medicinas Tradicionais e Medicinas Alternativas e Complementares para comporem a atenção à saúde, principalmente para os países em desenvolvimento. No Brasil, a oferta de práticas não ortodoxas nos serviços de atenção básica não é recente, mas em maio de 2006 foi publicada a Portaria nº 971 que propõe diretrizes para a incorporação das Práticas Integrativas e Complementares, sobretudo no nível primário. Este trabalho tem como objetivo analisar os fatores facilitadores e dificultadores da implementação da homeopatia no Sistema Único de Saúde dos municípios de São Paulo. Metodologia: Em 2008 foram identificados no DATASUS os municípios que ofereceram consultas homeopáticas de 2000-2007; estes dados foram analisados quantitativamente e, desencadearam questionamentos que foram utilizados para entrevistas com os gestores dos municípios, cujos resultados foram trabalhados quantiqualitativamente para a análise. Resultados: Dos 645 municípios de São Paulo, 47 ofertaram homeopatia e os gestores de 42 foram entrevistados. Estas últimas entrevistas indicaram que os fatores facilitadores estão relacionados à presença de médicos homeopatas no serviço; à adesão e disponibilidade do gestor em desenvolver a homeopatia; haver demanda de usuários perceptivos para a homeopatia; à ação dos Conselhos de Saúde; haver serviços de referência capazes de acolher a terapêutica homeopática e o baixo custo dos medicamentos homeopáticos. E, os dificultadores, com empecilhos como falta de estudos para a orientação dos gestores para a contratação de médicos homeopatas; a questões relacionadas à aquisição dos medicamentos; à priorização de outras especialidades médicas; ao desconhecimento da racionalidade médica homeopática; e preconceitos e dificuldades na implantação daquilo que é novo. Conclusão: os fatores facilitadores estão subsumidos às dificuldades apresentadas.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Wania Maria Papile Galhardi, Faculdade de Medicina de Jundiaí - SP Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp
Doutora em Saúde Coletiva pela Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP, mestre em Saúde Coletiva - Faculdade Ciências Médicas - UNICAMP. Especialista em Saúde Pública pela Faculdade de Ciências Médicas - UNICAMP, Graduada em Medicina pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Botucatu - SP. Professora adjunta do Departamento Saúde Coletiva da Faculdade de Medicina de Jundiaí - SP. Especialista em Homeopatia pela AMHB - Consultório Médico de Homeopatia. Atuando em pesquisa nos temas: saúde integral, SUS, homeopatia e humanização da saúde.
Nelson Filice de Barros, Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp
possui graduação em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (1993) , especialização em Aprimoramento em Ciências Sociais Aplicadas pela Universidade Estadual de Campinas (1995) , mestrado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (1997) , doutorado em Saúde Coletiva pela Universidade Estadual de Campinas (2002) e pós-doutorado pela University of Leeds (2007) . Atualmente é Professor Doutor MS3 da Universidade Estadual de Campinas, Tutor da Universidade Estadual de Campinas, membro de grupo de pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Membro de corpo editorial da Complementary Therapies in Medicine, Membro de corpo editorial da Boletim da Faculdade de Ciências Médicas da UNICAMP, Revisor de periódico da Ciência & Saúde Coletiva, Revisor de periódico da Complementary Therapies in Medicine, Revisor de periódico da Revista Baiana de Saúde Pública, Revisor de periódico da Saúde e Sociedade, Revisor de periódico da Revista Interface, Revisor de periódico da Revista de Saúde Pública / Journal of Public Health, Revisor de periódico da Physis. Revista de Saúde Coletiva e Membro de corpo editorial da Sociedade de Estudos e Pesquisa Qualitativos. Tem experiência na área de Saúde Coletiva. Atuando principalmente nos seguintes temas: Medicina alternativa, Medicina integrativa, Sociologia da saúde, Profissão médica, Medicina complementar. 13/10/11
Ana Cláudia Moraes Barros Leite-Mor, Faculdade de Ciências Médicas - Unicamp
Possui graduação em Naturologia Aplicada pela Universidade do Sul de Santa Catarina (2009). É Assistente e Pesquisadora do Laboratório de Práticas Alternativas, Complementares e Integrativas em Saúde (LAPACIS-FCM-UNICAMP). Atua na área de Saúde Coletiva, com ênfase em metodologia de pesquisa e epistemologia, atuando principalmente nos seguintes temas: interagência, naturologia e pesquisa científica.

Referências

Luz MT. Racionalidades médicas e terapêuticas Alternativas. In: Camargo Junior KR. Racionalidades médicas: a medicina ocidental contemporânea. Rio de Janeiro: UERJ/Instituto de Medicina Social; 1993. p. 01-32. Série Estudos em Saúde Coletiva.

Ibáñez N, Marsiglia R. Medicina e Saúde: um enfoque histórico. In: Canesqui AM. Ciências Sociais e Saúde para o Ensino Médico. São Paulo: Hucitec; 2000. p. 49-74.

Barros NF. A construção de novos paradigmas na medicina: a medicina alternativa e a medicina complementar. In: Canesqui AM. Ciências Sociais e Saúde para o Ensino Médico. São Paulo: Hucitec; 2000. p. 201-216.

Queiroz MS. O sentido do conceito de medicina alternativa e movimento vitalista: uma perspectiva teórica introdutória. In: Nascimento MC. As duas faces da montanha estudos sobre medicina chinesa e acupuntura. São Paulo: Hucitec; 2006. p. 19-39.

Rodrigues DR, Anderson MIP. Saúde da Família: uma estratégia necessária. Rev Bras Med Fam Comunidade. 2011; 6(18): 21-24.

World Health Organization. Estrategia de la OMS sobre medicina tradicional 2002-2005. Geneva; 2002.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS. Portaria nº 971/GM/MS, de 3 de maio de 2006. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 4 maio 2006. [online] [acesso em 2009 Abr 05]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/visualizar_texto.cfm?idtxt=28761&janela=1

Barros NF. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no SUS: uma ação de inclusão. Cienc Saude Colet. 2006; 11(3):850.

Barros NF, Galhardi WMP. National Policy Integrative and Complementary Practices in the Brazilian Health System: steps towards the expansion of homeopathy. Homeopat J Facult Homeopat. London. 2008; 97(3):53.

Salles SAC. Homeopatia, Universidades e SUS: resistências e aproximações. São Paulo: Editora Hucitec; 2008. 210 p.

Brasil. Ministério da Saúde. O SUS e o Controle Social – guia de referência para Conselheiros Municipais. Brasília: Coordenação de Informações, Educação e Comunicação; 1998. [online] [acesso em 2010 Jul 10]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/index.cfm/?portal=pagina.visualizarArea&codArea=345

Brasil. Ministério da Saúde. Participação Social na Gestão do SUS. Lei nº 8142, 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS} e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 31 dez. 1990. [online] [acesso em 2009 Set 05]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/Lei8142.pdf

Tesser CD. Práticas complementares, racionalidades médicas e promoção da saúde: contribuições poucos exploradas. Cad Saúde Pública. 2009; 25(8):1732 -1742.

Barros NF, Tovems PAJ. Investigações qualitativas em práticas alternativas, complementares e integrativas. In Barros NF, Ceccatti JG, Turato ER. Pesquisa qualitativa saúde: múltiplos olhares. Campinas: Unicamp; 2005. p. 219-231.

Sampier RH, Collado CF, Lucio, PB. Metodologia de pesquisa. 3. ed. São Paulo: McGraw-Hill; 2006.

Bardin L. Análise de conteúdo. Traduzido por Luís A. Reto & Augusto Pereira. 3. ed. Lisboa: Edições 70 Ltda.; 2004.

Minayo MCS. O Desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em Saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec; 2004. p. 9-28, p. 89-104, p. 197-247.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Brasil em Síntese. [online] [acesso em 2010 Abr 19]. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/mapa_site/mapa_site.php#populacao

Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Perfil dos Municípios do Estado de São Paulo. [online] [acesso em 2008 Abr 02]. Disponível em: www.seade.gov.br/produtos/perfil/perfil.php

Estrela WL. Integralidade no Cuidado nas Medicinas Naturais: a resposta dos usuários ao medicamento homeopático. [Dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2006.

Salles SAC, Schraiber LB. Gestores do SUS: apoio e resistências à Homeopatia. Cad Saúde Pública. 2009; 25(1):195-202.

Gohn MG. Empoderamento e participação da comunidade em políticas sociais. Saúde Soc. 2004; 13(2):20-31.

Galhardi WMP, Barros NF. O ensino da homeopatia e a prática no Sistema Único de Saúde - SUS. Interface - Comunic., Saúde, Educ. 2008; 12(25):247-266.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Executiva. Departamento de Apoio à Descentralização. Coordenação-Geral de Apoio à Gestão Descentralizada. Diretrizes operacionais dos pactos pela Vida, em defesa do SUS e de gestão. 2. ed. Brasília; 2006. [online] [acesso em 2008 Fev 10]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/area/313/legislacao.html

Brasil. Ministério da Saúde. Pacto pela Saúde. Portaria nº 399, de 22 de fevereiro de 2006. Divulga o Pacto pela Saúde 2006 – Consolidação do SUS e aprova as Diretrizes Operacionais do Referido Pacto. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, fev. 2006. [online] [acesso em 2008 Fev 10]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/area/313/legislacao.html

Brasil. Ministério do Estado da Saúde. Portaria GM nº 154, de 24 de janeiro de 2008. Cria os Núcleos de Apoio à Saúde da Família - NASF. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, jan. 2008. [online] [acesso em 2008 Fev 10]. Disponível em: http://portalsaude.saude.gov.br/portalsaude/area/313/legislacao.html

Publicado
2012-03-26
Como Citar
Galhardi, W. M. P., Barros, N. F. de, & Leite-Mor, A. C. M. B. (2012). A homeopatia na rede pública do Estado de São Paulo: facilitadores e dificultadores. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 7(22), 35-43. https://doi.org/10.5712/rbmfc7(22)413
Seção
Artigos de Pesquisa