A avaliação da pressão arterial por agentes comunitários pode ser uma estratégia útil para o cuidado da saúde?

Leonardo Vieira Targa

Resumo


A avaliação da pressão arterial integra a prática semiológica de médicos e a rotina dos cuidados de enfermagem. Recentemente, essa ação ressurgiu em nosso país como polêmica assim que se cogitou a possibilidade de uma nova categoria profissional inserida profundamente nas comunidades, a dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS), praticá-la. Tanto as vantagens alegadas quanto as críticas são analisadas, bem como revisada a literatura sobre o tema. Detectou-se forte demanda populacional para que essa prática fosse implantada, inclusive nos conselhos municipal e local de saúde.Geraram-se dados que avaliam o treinamento de ACS para realizar medidas de pressão arterial e atividades educacionais nos domicílios com a criação e aplicação de um protocolo específico, tendo como resultados: a reprodutibilidade da técnica, o número de usuários que nunca tenham medido pressão arterial antes, o número de medidas consideradas limítrofes e altas, o número de hipertensos mal controlados e a adesão dos usuários às orientações das ACS.


Palavras-chave


Hipertensão Arterial Sistêmica; Agentes Comunitários de Saúde; Cuidados Primários de Saúde

Texto completo:

PDF/A


DOI: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc1(4)46

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2014 Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade



 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia