Perspectivas da Medicina Tradicional e das práticas contemplativas na faculdade de medicina de Botucatu, UNESP

  • Thaís Bassi Cardoso Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Renata Tamie Akazawa Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Giovana Pieteri Alcantara Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Gabriel Braga Almeida Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Patrícia Pérola Dantas Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Rayana Gonçalves Moreira Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Greyce Cristina Ferreira Russo Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Karina Janoti dos Santos Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Renata Lemônica Freitas Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Karina Pavão Patrício Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), UNESP.
  • Ricardo Monezi Julião de Oliveira Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Palavras-chave: Medicina Tradicional, Medicina Integrativa, Educação Superior

Resumo

Introdução: A designação de saúde como “ausência de doença” sofreu uma alteração desde a criação da OMS, definindo-a como “o estado do mais completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de enfermidade”. A partir da década de 70, houve a hipervalorização do atendimento terciário em saúde e do tecnocentrismo, evidente com o processo de hospitalização e da tecnologia de ponta. Apesar de todo o avanço alcançado, tem-se observado um movimento considerável em várias partes do mundo em relação ao ensino e utilização de terapêuticas relacionadas à Medicina Tradicional (MT) e às Práticas Contemplativas (PC). Objetivo:Descrever as perspectivas da MT e das PC na Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB), a partir da análise das ações que iniciaram a discussão sobre o tema. Metodologia: Análise descritiva e reflexiva dos fatos acadêmicos relacionados à MT e às PC que ocorreram na FMB. Resultados: Apesar do Hospital das Clínicas de Botucatu oferecer gratuitamente, desde 2000, atendimento homeopático e acupuntura, tendo atendido mais de 7000 pacientes, os graduandos não tinham a oportunidade de acompanhar o serviço. As práticas existentes eram restritas aos ambulatórios e não havia disciplinas optativas ou matérias curriculares oferecidas aos estudantes.A partir da demanda foram formados grupos de estudo sobre Homeopatia, Medicina Antroposófica e Espiritualidade. A fim de prover uma acessibilidade maior ao tema, em 2011 foi criada a Liga da Medicina Integrativa e Complementar. No mesmo ano ocorreram ainda o “I Congresso Médico Acadêmico de Acupuntura e Homeopatia”, além de uma noite dedicada ao tema da Medicina Integrativa no 20° Congresso Médico Acadêmico de Botucatu. Conclusões:Incentivar o acesso ao conhecimento das abordagens que compõem a MT e as PC, não é apenas seguir uma tendência mundial, mas sim disponibilizar aos estudantes a possibilidade de um aprendizado que pode contribuir com a promoção do bem estar e da saúde integral do ser humano.

Metrics

Carregando Métricas ...
Publicado
2012-06-22
Como Citar
Cardoso, T. B., Akazawa, R. T., Alcantara, G. P., Almeida, G. B., Dantas, P. P., Moreira, R. G., Russo, G. C. F., Santos, K. J. dos, Freitas, R. L., Patrício, K. P., & Oliveira, R. M. J. de. (2012). Perspectivas da Medicina Tradicional e das práticas contemplativas na faculdade de medicina de Botucatu, UNESP. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 7(1), 68. https://doi.org/10.5712/rbmfc7(1)617