Acolhimento com classificação de risco para a Estratégia Saúde da Família: a prática em uma unidade docente-assistencial

  • Alessandro da Silva Scholze Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). Itajaí, SC
Palavras-chave: Acolhimento, Estratégia Saúde da Família, Acesso aos Serviços de Saúde, Serviços de Integração Docente-Assistencial

Resumo

O acolhimento é visto, concomitantemente, como tecnologia do encontro, criando redes de conversações para resgatar um enfoque centrado no usuário, e como ação técnico-assistencial para reorganizar os processos de trabalho. Neste artigo, apresenta-se uma reflexão teórica sobre as possibilidades de empregar formas de Acolhimento com Classificação de Risco (ACR) na Estratégia Saúde da Família (ESF), a partir da descrição de sua implantação no processo de trabalho de três equipes da ESF que atuam em uma mesma Unidade de Saúde (US) em Itajaí-SC. A construção coletiva de novos fluxos de atenção e instrumentos auxiliares para a classificação de risco pode ser empregada para qualificar o serviço segundo os princípios da equidade e integralidade. As limitações do processo devem ser identificadas e discutidas como parte de constante reavaliação e reajuste no processo de trabalho. O ACR mostrou-se um desafio e uma possibilidade de avanço no sentido da humanização pela horizontalização das relações e busca de corresponsabilização tanto no interior das ESF como nos contatos destas com os usuários.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Alessandro da Silva Scholze, Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI). Itajaí, SC

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Santa Maria (1996); título de Especialista em Clínica Médica - área de concentração Gastroenterologia, pela Universidade Federal de Santa Maria (1999); título de Especialista em Medicina Familiar e Comunitária pela Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (2005) e Mestrado em Saúde e Gestão do Trabalho pela Universidade do Vale do Itajaí (2005). Atualmente é médico do Programa Saúde da Família da Prefeitura Municipal de Itajaí e professor ingressante da Universidade do Vale do Itajaí. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina da Família e Clínica Médica - Gastroenterologia, atuando principalmente nos seguintes temas: Programa Saúde da Família e Medicina de Família e Comunidade.

Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/5117145610747281

Referências

Pasche DF, Passos E, Hennington EA. Cinco anos da política nacional de humanização: trajetória de uma política pública. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2011 [acesso em 2013 Sep 10];16(11):4541-48. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/csc/v16n11/a27v16n11.pdf

Ministério da Saúde (BR), Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS: acolhimento com avaliação e classificação de risco: um paradigma ético estético no fazer em saúde [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2004 [acesso em 2008 Aug 15]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento.pdf. 48p. (Textos Básicos de Saúde; Série B).

Oliveira LML, Tunini ASM, Silva FC. Acolhimento: concepções, implicações no processo de trabalho e na atenção em saúde. Revista APS [Internet]. 2008 [acesso em 2013 Sep 10];11(4):362-73. Disponível em: http://www.aps.ufjf.br/index.php/aps/article/viewArticle/394

Santos IMV, Santos AM. Acolhimento no Programa Saúde da Família: revisão das abordagens em periódicos brasileiros. Rev Salud Pública. 2011;13(4):703-16. http://dx.doi.org/10.1590/S0124-00642011000400015

Pereira RPA. O acolhimento e a Estratégia Saúde da Família. Grupo de estudos em Saúde da Família [Internet]. Belo Horizonte: AMMFC; 2006 [acesso em 2009 Apr 14]. Disponível em: http://www.smmfc.org.br/gesf/RPAP_acolhimento_esf.htm

Santos TVC, Penna CMM. Daily demands in primary care: the view of health professionals and users. Texto Contexto Enferm. 2013;22(1):149-56. http://dx.doi.org/10.1590/S0104-07072013000100018

Bodenheimer T, Pham HH. Primary Care: current problems and proposed solutions. Health Affairs [Internet]. 2010 [acesso em 2013 Aug 27];29(5):799-805. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1377/hlthaff.2010.0026

Nery AA, Carvalho CGR, Santos FPA, Nascimento MS, Rodrigues VP. Saúde da Família: visão dos usuários. Rev enferm UERJ. 2011;19(3):397 402

Urbano GB. Integralidade na prática assistencial da equipe de enfermagem: a relação da escuta na interação usuário e profissional no município de Paranavaí – PR [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro; 2009. Português.

Tesser CD, Poli Neto P, Campos GWS. Acolhimento e (des)medicalização social: um desafio para as equipes de saúde da família. Ciênc Saúde Colet. 2010;15(Suppl 3):3615-24. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000900036

11. Kontopantelis E, Roland M, Reeves D. Patient experience of access to primary care: identification of predictors in a national patient survey. BMC Family Practice [Internet]. 2010 [acesso em 2013 May 10];11:61. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1186/1471-2296-11-61

12. Campos GWS, Carpintero MC, Bueno JMS. Protocolo de Acolhimento da Secretaria Municipal de Saúde de Campinas. Campinas; 2001. Português.

Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo. 2º Caderno de apoio ao acolhimento: orientações, rotinas e fluxos sob a ótica do risco/ vulnerabilidade [Internet]. São Paulo: Prefeitura do Município de São Paulo; 2004 [acesso em 2006 Aug 23]. Disponível em: http://www6.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/saude/publicacoes/0054

Mayema MA, editor. A Construção do Acolhimento: a proposta de mudança do processo de trabalho em saúde do município de Bombinhas. Bombinhas: Secretaria Municipal de Saúde de Bombinhas; 2007.

Schoeller MT. Guia prático para o tratamento da dor oncológica. 2ª ed. Florianópolis: Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica; 2002.

Barreto Junior OS, Santos EF. Acolhimento na Estratégia Saúde da Família. In: Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade (SBMFC), editor. Porto Alegre: Artmed Panamericana; 2006. p. 43-64. (Programa de Atualização em Medicina de Família e Comunidade, Ciclo 3, Módulo 3).

Pinafo E, Lima JVC, Baduy RS. Acolhimento: concepção dos auxiliares de enfermagem e percepção de usuários em uma unidade de saúde da família. Espaç saúde [Internet]. 2008 Jun [acesso em 2008 Aug 15];9(2):17-25. Disponível em: http://www.ccs.uel.br/espacoparasaude/v9n2/Artigo%2053-2007%20_Editado_.pdf

Brasil. Decreto nº. 94.406 de 8 de junho de 1987. Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Diário Oficial da União. 1987; Seção 1: 8853-8855. Português.

Souza ECF, Vilar RLA, Rocha NSPD, Uchoa AC, Rocha PM. Acesso e acolhimento na atenção básica: uma análise da percepção dos usuários e profissionais de saúde. Cad Saúde Pública 2008;24(Suppl 1):S100-10. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001300015

Baraldi DC, Souto BGA. A demanda do Acolhimento em uma Unidade de Saúde da Família em São Carlos, São Paulo. Arq Bras Ciências Saúde. 2011;36(1):10-7.

Hennington EA. Acolhimento como prática interdisciplinar num programa de extensão universitária. Cad Saúde Pública 2005;21(1):256-65. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008001300015

Coelho MO, Jorge MSB, Araújo ME. O acesso por meio do acolhimento na atenção básica à saúde. Rev Baiana Saúde Pública. 2009 Jul-Set;33(3):440-52.

Vieira-da-Silva LM, Esperidião MA, Viana SV, Alves VS, Lemos DVS, Caputo MC et al. Avaliação da implantação de programa voltado para melhoria da acessibilidade e humanização do acolhimento aos usuários na rede básica. Salvador, 2005-2008. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2010 Nov;10(Suppl 1):S131-43. http://dx.doi.org/10.1590/S1519-38292010000500012

Sánchez AIM, Bertolozzi MR. Pode o conceito de vulnerabilidade apoiar a construção do conhecimento em Saúde Coletiva? Ciênc Saúde Colet. 2007;12(2):319-24. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232007000200007

Mitre SM, Andrade EIG, Cotta RMM. Avanços e desafios do acolhimento na operacionalização e qualificação do Sistema Único de Saúde na Atenção Primária: um resgate da produção bibliográfica do Brasil. Ciênc Saúde Colet. 2012;17(8):2071-85.

Publicado
2013-11-17
Como Citar
Scholze, A. da S. (2013). Acolhimento com classificação de risco para a Estratégia Saúde da Família: a prática em uma unidade docente-assistencial. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 9(31), 219-226. https://doi.org/10.5712/rbmfc9(31)637
Seção
Relatos de Experiência