Desafios para a implementação do Programa de Planejamento Familiar em uma comunidade de baixa renda em Aracaju (Sergipe), Brasil

  • Bárbara de Alcântara Brito Maia
  • João Batista Cavalcante Filho
  • Valeska Holst Antunes
Palavras-chave: Planejamento Familiar, Anticoncepção, Medicina Reprodutiva, Educação em Saúde

Resumo

Um estudo das características reprodutivas e do significado do planejamento familiar para mulheres em idade fértil e para a equipe de saúde que as assiste foi realizado em uma comunidade de baixa renda em Aracaju (SE). Na etapa descritiva, foram aplicados questionários estruturados a 90 usuárias de uma Unidade Básica de Saúde, por sorteio aleatório das pastas-família, contendo dados pessoais e da vida reprodutiva. Esta etapa foi seguida de uma abordagem qualitativa, na qual foram realizados grupos focais com seis usuárias e com a equipe de saúde, utilizando questionários semi-estruturados para avaliar a prática de planejamento familiar. As mulheres mostraram que conhecimento e oferta de métodos anticoncepcionais não garantem um planejamento familiar adequado. Mais de 97% das participantes referiram conhecer a camisinha, a pílula e o injetável, e 73,6% das sexualmente ativas praticam anticoncepção, mas 76% daquelas que já engravidaram referiram uma ou mais gestações não-planejadas. Nos grupos focais, outras abordagens do planejamento familiar, como assistência à pré-concepção, acesso ao homem e educação em saúde, mostraram que precisam ser trabalhadas pela equipe para que as usuárias programem melhor sua prole.

Métricas

Carregando Métricas ...
Publicado
2007-11-17
Como Citar
Maia, B. de A. B., Cavalcante Filho, J. B., & Antunes, V. H. (2007). Desafios para a implementação do Programa de Planejamento Familiar em uma comunidade de baixa renda em Aracaju (Sergipe), Brasil. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 2(8), 271-281. https://doi.org/10.5712/rbmfc2(8)66
Seção
Artigos de Pesquisa