Percepção de homens idosos sobre saúde e os serviços primários de saúde

  • Camila Polisello Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP
  • Cassiana Morais de Oliveira Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP
  • Mariana Pavan Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Botucatu, SP
  • Ricardo Gorayeb Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP
Palavras-chave: Saúde do Homem, Saúde do Idoso, Atenção Primária à Saúde, Promoção da Saúde

Resumo

Objetivo: compreender a percepção de homens idosos acerca dos temas: “Saúde”, “Unidade de Saúde da Família” (USF) e “Grupos em Saúde”. Métodos: estudo exploratório-descritivo, de abordagem qualitativa, com amostra de conveniência. Para selecionar os participantes, utilizou-se uma lista elaborada pela equipe com os nomes dos homens idosos da área de cobertura da USF que utilizavam os serviços de saúde oferecidos pela unidade. Para a coleta de dados realizou-se entrevista semi-estruturada e os dados foram analisados de acordo com a Análise de Conteúdo Temática. Resultados: participaram desse estudo 11 homens idosos. Os entrevistados possuem um conceito ampliado de saúde, abordando aspectos biopsicossociais em suas descrições. Eles apresentaram um bom vínculo com a USF, frequentando-a para consultas e participação em grupos de prevenção e promoção. Os participantes referiram não se engajarem em tantas atividades preventivas quanto as mulheres. Avaliam os Grupos em Saúde como benéficos, com repercussões positivas para a saúde e para a vida. Alguns, no entanto, carregam modelos de grupos de outros contextos, principalmente do mundo do trabalho, os quais não coincidem com os modelos de Grupo em Saúde. Conclusão: os participantes, por serem idosos e terem maior disponibilidade de tempo e vínculo com a unidade, conseguiram se engajar em mais atividades de promoção e prevenção. Observa-se que a unidade de saúde e os grupos atuam como fatores protetores para essa população, favorecendo o cuidado e as relações socias. No entanto, percebe-se que fatores associados ao gênero ainda dificultam um melhor cuidado de saúde por parte de homens.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Camila Polisello, Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP
Residente Multiprofissional de Psicologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto -Universidade de São Paulo
Cassiana Morais de Oliveira, Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP
Psicóloga do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento.
Mariana Pavan, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Botucatu, SP
Graduação em Psicologia pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduanda em Saúde Coletiva pela Faculdade de Medicina de Botucatu, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" (UNESP)
Ricardo Gorayeb, Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP
 Professor Livre Docente de Psicologia Médica do Departamento de Neurociências e Ciências do Comportamento da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, USP

Referências

Ministério da Saúde (BR). Política Nacional de Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2012. (Série E. Legislação em Saúde).

Ministério da Saúde (BR). Sistema Único de Saúde. Apresentação [Internet]. Brasília; c2014 [acesso em 2011 Nov 22]. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/saude/default.cfm.

Freitas MLA, Mandú ENT. Promoção da saúde na Estratégia Saúde da Família: análise de políticas de saúde brasileiras. Acta Paul Enferm [Internet]. 2010 [acesso em 2012 Nov 1];23(2):200-205. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002010000200008.

Figueiredo WS. Assistência à saúde dos homens: um desafio para os serviços de atenção primária. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2005 [acesso em 2011 Oct 05];10(1):105-109. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000100017.

Schraiber LB, Gomes R, Couto MT. Homens e saúde na pauta da Saúde Coletiva. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2005 [acesso em 2011 Jul 13];10(1):7-17. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000100002.

Gomes, R. Sexualidade masculina e saúde do homem: proposta para uma discussão. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2003 [acesso em 2011 Nov 10];8(3):825-9. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232003000300017.

Laurenti R, Jorge MHPM, Gotlieb SLD. Perfil epidemiológico da morbi-mortalidade masculina. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2005 [acesso em 2011 Oct 06];10(1):35-46. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232005000100010.

Gomes R, Nascimento EF. A produção do conhecimento da saúde pública sobre a relação homem-saúde: uma revisão bibliográfica. Cad Saúde Pública [Internet]. 2006 [acesso em 2012 Nov 15];22(5):901-911. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000500003.

Keijzer B, Ayala G, Dorantes OA, Rosas EMR, Sánchez-Mejorada J, Barranca SM, Salud y gênero. Razões e emoções. São Paulo: 3Laranjas Comunicação; 2001 [acesso em 2013 Jan 15]. (Série Trabalhando com Homens Jovens, caderno 4). Disponível em: http://www.promundo.org.br/wp-content/uploads/2010/04/RazoeseEmocoes1.pdf.

Gomes R. A saúde do homem em foco. São Paulo: Editora UNESP; 2010.

Brasil. Rede Interagencial de informações para a saúde (RIPSA). Indicadores e Dados Básicos 2006 - Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2010 [acesso em 2013 May 14]. Disponível em: http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/idb2006/matriz.htm.

Mckinlay E. Men and Health: a literature review [Internet] Wellington: Wellington School of Medicine as Health Science, Otago University; 2005 [acesso em 2012 Nov 30]. Disponível em: http://nhc.health.govt.nz/system/files/documents/publications/mens-health-literature-review.pdf.

Gomes R, Nascimento EF, Araujo FC. Por que os homens buscam menos os serviços de saúde do que as mulheres? As explicações de homens com baixa escolaridade e homens com ensino superior. Cad. Saúde Pública [Internet]. 2007 [acesso em 2012 Nov 17];23(3):565-574. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2007000300015.

Fontanella BJ B, Ricas J, Turato ER. Amostragem por saturação em pesquisas qualitativas em saúde: contribuições teóricas. Cad Saúde Pública [Internet]. 2008 [acesso em 2014 Jul 25];24(1):17-27. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000100003.

Minayo MCS. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec/Abrasco; 1994.

Figueiredo WS, Schraiber LE. Concepções de gênero de homens usuários e profissionais de saúde de serviços de atenção primária e os possíveis impactos na saúde da população masculina, São Paulo, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2011;16(1):935-944. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700025.

Camargo BV, Campos PHF, Torres TL, Stuhler GD, Matão MEL. Representações sociais de saúde e cuidado: um estudo multicêntrico sobre vulnerabilidade masculina. Temas Psicol [Internet]. 2011 [acesso em 2013 Apr 26];19(1):179-192. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-389X2011000100014&lng=pt.

Knauth DR, Couto MT, Figueiredo WS. A visão dos profissionais sobre a presença e as demandas dos homens nos serviços de saúde: perspectivas para a análise da implantação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Ciênc Saúde Coletiva. 2012;17(10):2617-2626. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012001000011.

Couto MT, Pinheiro TF, Valença OA, Machin R, Silva GSN, Gomes R, et al. O homem na atenção primária à saúde: discutindo (in)visibilidade a partir da perspectiva de gênero. Interface (Botucatu) [Internet]. 2010 [acesso em 2012 Oct 05];14(33):257-270. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-32832010000200003.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria de Atenção à Saúde, Política Nacional de Humanização. Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde; 2010 [acesso em 2014 Jan 29]. (Série B. Textos Básicos de Saúde) (Cadernos HumanizaSUS, vol. 2). Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_humanizasus_atencao_basica.pdf.

Gomes R, Moreira MCN, Nascimento EF, Rebello LEFS, Couto MT, Schraiber LB. Os homens não vêm! Ausência e/ou invisibilidade masculina na atenção primária. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2011 [acesso em 2012 Sep 20];16(1):983-992. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232011000700030.

Nunes AA, Caccia-Bava MCGG, Bistafa MJ, Pereira LCR, Watanabe MC, Santos V, et al. Resolubilidade da estratégia saúde da família e unidades básicas de saúde tradicionais: contribuições do Pet-Saúde. Rev Bras Educ Med [Internet]. 2012 [acesso em 2013 Nov 16];36(1):27-32. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0100-55022012000200004.

Baker G. Trabalho não é tudo, mas é quase tudo: homens, desemprego e justiça social em Políticas Públicas. In: Medrado B, Lyra J, Azevedo M, Brasilino J, editors. Homens e masculinidades: práticas de intimidade e políticas públicas. Recife: Instituto PAPAI; 2010. p. 125-138.

Pinheiro RS, Viacava F, Travassos C, Brito AS. Gênero, morbidade, acesso e utilização de serviços de saúde no Brasil. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2002 [acesso em 2013 Jan];7(4):687-707. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232002000400007.

Couto MT, Gomes R. Homens, saúde e políticas públicas: a equidade de gênero em questão. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2012 [acesso em 2013 Nov 27];17(10):2569-2578. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232012001000002.

Oliveira GR, Trilico MLC, Paro FS, Kijimura MY, Pirolo SM. A integralidade do cuidado na saúde do homem: um enfoque na qualidade de vida. Rev Bras Med Fam Comunidade [Internet]. 2013 [acesso em 2013 Nov 13];8(28):208-212. Disponível em: http://dx.doi.org/10.5712/rbmfc8(28)676.

Vecchia RD, Ruiz T, Bocchi SCM, Corrente JE. Qualidade de vida na terceira idade: um conceito subjetivo. Rev Bras Epidemiol [Internet]. 2005 [acesso em 2014 Jan 29];8(3):246-252. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-790X2005000300006.

Duarte CV, Melo-Silva LL. Expectativas diante da aposentadoria: um estudo de acompanhamento em momento de transição. Rev Bras Orientac Prof [Internet]. 2009 [acesso em 2014 Jan 29];10(1):45-54. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-33902009000100007&lng=pt&tlng=pt.

Harris E, Harris MF. Reducing the impact of unemployment on health: revisiting the agenda for primary health care. Med J Aust [Internet]. 2009 [acesso em 2013 May 14];191(2):119-122. Disponível em: http://mja.com.au/public/issues/191_02_200709/har10340_fm.html.

Giatti L, Barreto SM. Situação do indivíduo no mercado de trabalho e iniqüidade em saúde no Brasil. Rev Saúde Pública [Internet]. 2006 [acesso em 2013 Jan 10];40(1):99-106. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000100016.

Coutinho RX, Acosta MAF. Ambientes Masculinos da terceira idade. Ciênc Saúde Coletiva [Internet]. 2009 [acesso em 2013 Jan 13];14(4):1111-1118. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000400017.

Horta NC, Sena RR, Silva MEO, Tavares TS, Caldeira IM. A prática de grupos como ação de promoção da saúde na estratégia saúde da família. Rev APS. 2009;12(3):293-301.

Brasil. Lei no. 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União. 1990 Sep 20; Seção 1.

Brasil. Lei no. 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS} e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União. 1990 Dec 31; Seção 1.

Ministério da Saúde (BR), Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Humaniza SUS. Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS. Brasília: Ministério da Saúde; 2004. (Série B. Textos Básicos de Saúde).

Ministério da Saúde (BR), Secretário de Atenção à Saúde. Política nacional de atenção à saúde do homem: princípios e diretrizes. Brasília: Ministério da Saúde; 2008.

Medrado B, Lyra J, Azevedo. ‘Eu Não Sou Só Próstata, Eu Sou um Homem!’ Por uma política pública de saúde transformadora da ordem de gênero. In: Gomes R, editor. Saúde do Homem em debate. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2011. p. 39-74.

Ciênc Saúde Coletiva. 2005 [acesso em 2013 Jan 13];10(1). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_issuetoc&pid=1413-812320050001&lng=pt&nrm=iso

Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.528 de 19 de outubro de 2006. Aprova a Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa. Disponível em: http://dtr2001.saude.gov.br/sas/PORTARIAS/Port2006/GM/GM-2528.htm

Publicado
2014-09-13
Como Citar
Polisello, C., Oliveira, C. M. de, Pavan, M., & Gorayeb, R. (2014). Percepção de homens idosos sobre saúde e os serviços primários de saúde. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 9(33), 323-335. https://doi.org/10.5712/rbmfc9(33)797
Seção
Artigos de Pesquisa