Tradução, adaptação, validade e medidas de fidedignidade do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde (PCATool) no Brasil: versão profissionais de saúde

  • Lisiane Hauser Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Rodrigo Caprio Leite de Castro Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Álvaro Vigo Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Thiago Gomes da Trindade Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal, RN
  • Marcelo Rodrigues Gonçalves Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Airton Tetelbom Stein Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Porto Alegre, RS
  • Bruce Bartholow Duncan Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Erno Harzheim Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Avaliação de Serviços de Saúde, Validade dos Testes, Reprodutibilidade dos Testes

Resumo

Objetivo: traduzir, adaptar e avaliar a validade e a fidedignidade do PCATool versão profissionais de saúde utilizando um estudo transversal com médicos e enfermeiros (n=340) dos serviços públicos de APS em Porto Alegre. Métodos: foram realizadas tradução, versão e adaptação do instrumento às características dos serviços de saúde nacionais, bem como culturais. A validade fatorial, a consistência interna e a estabilidade no tempo foram avaliadas. Resultados: na análise fatorial exploratória foram retidos 9 fatores, explicando aproximadamente 75% da variação total. Dessa forma, foi identificada a estrutura multidimensional do instrumento. A avaliação da consistência interna mostrou coeficiente alfa de Cronbach variando de 0,28 a 0,90. A estabilidade temporal foi observada para todos os atributos à exceção de Orientação Familiar (p<0,05). Conclusões: essa avaliação sugere que o instrumento é válido e fidedigno para a mensuração da qualidade dos serviços de atenção primária à saúde, na perspectiva dos profissionais de saúde. Pode ser utilizado tanto para identificação, monitoramento e avaliação dos atributos da APS nos serviços de saúde quanto para estudos comparativos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Lisiane Hauser, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008) e mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Atualmente realizando doutorado em Epidemiologia na UFRGS e consultora em Estatística do projeto Telemática e Telemedicina em Apoio à Atenção Primária à Saúde no Brasil: Pólo Rio Grande do Sul, um projeto de teleducação e teleassistência do Ministério da Saúde em parceria com 9 universidades do país. Participa do Grupo de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde de Porto Alegre.
Rodrigo Caprio Leite de Castro, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Médico de Família e Comunidade. Preceptor da Residência em Medicina de Família e Comunidade do Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição. Professor Assistente do Departamento de Medicina Social da FAMED/UFRGS. Mestre e Doutorando em Epidemiologia, na linha de pesquisa Epidemiologia e Atenção Primária à Saúde no PPG em Epidemiologia da FAMED/UFRGS.
Álvaro Vigo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Bacharel em Estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989), Mestre em Estatística pela Universidade Estadual de Campinas (1994) e Doutor em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com experiência na área de Estatística Aplicada e Epidemiologia. Atua principalmente na área de análise de dados categóricos. É pesquisador do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil - http://www.elsa.org.br/).
Thiago Gomes da Trindade, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Natal, RN

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2000), fez residência em Medicina de Família e Comunidade no Programa de Residência do HNSC (2004) e especializou-se em Terapia de Família e de Casal pelo INFAPA (2006). É Mestre em epidemiologia pelo Programa de Pós-Graduação da UFRGS (2007), e atualmente está cursando o Doutorado no mesmo Programa. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Família e Comunidade e Atenção Primária à Saúde. É Professor do Curso de Medicina da Universidade Potiguar e da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

 
Marcelo Rodrigues Gonçalves, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal de Pelotas (2000), mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2007) e doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2013). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Família e Comunidade, atuando principalmente nos seguintes temas: atenção primária à saúde, medicina de família e comunidade, programa de saúde da família, diabetes mellitus e educação.
Airton Tetelbom Stein, Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA). Porto Alegre, RS
Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq. Possui graduação em Medicina pela PUCRS (1981), especialização em medicina de família e comunidade pelo Murialdo (1983), mestrado em Community Health For Developing Countries - London School Of Hygiene And Tropical Medicine (1990), mestrado em Medicina: Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989) e doutorado em Medicina: Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998). Atualmente é Professor Titular de Saúde Coletiva da UFCSPA, Professor Adjunto do Curso de Pós-graduação de Saúde Coletiva da ULBRA, Coordenador do Núcleo de Avaliação de Tecnologia em Saúde do Gupo Hospitalar Conceição (GHC) e Presidente da Câmara Técnica da Medicina de Família e Comunidade do CREMERS. É Membro do Conselho Editorial do British Medical Journal versão em português. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: atenção primária a saúde, diretrizes clínicas, medicina baseada em evidência, obesidade e avaliação de serviços de saúde.
Bruce Bartholow Duncan, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Medicina pela Johns Hopkins University (1979), graduação em Economia (Bacharel) pelo Williams College (1971), mestrado em Public Health (MPH) pela Johns Hopkins University (1979), doutorado em Medicina: Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991) e pós-doutorado em Epidemiologia pela University of North Carolina (1993). É professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, adjunct assistant professor da University of North Carolina (1999-2016) e membro do Comitê Técnico Assessor das Doenças e Agravos Não Transmissíveis do Ministério da Saúde. Atua na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia e foco nos seguintes temas: 1) diabetes mellitus, obesidade, e outros fatores de risco para doenças cardiovasculares 2) medicina baseada em evidências e 3) atenção primária à saúde. Mudou-se para o Brasil em 1983 e sua primeira linha de atuação visou difundir a então nova disciplina de epidemiologia clínica no país. Foi um dos proponentes da Medicina Baseada em Evidências no Brasil. Sua pesquisa, centrada em estudos multicêntricos nacionais e internacionais sobre diabetes, obesidade, inflamação, disfunção microvascular e doenças associadas, produziu &gt;170 artigos originais, muitos publicados em revistas de grande impacto na área como Lancet, BMJ, JAMA, Annals of Internal Medicine, Diabetes, Hypertension, American Journal of Epidemiology,e International Journal of Epidemiology. Foi um dos fundadores do PPG-Epidemiologia da UFRGS (nível 6 da CAPES). É um dos coordenadores do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto, e lidera um Centro Colaborador da Secretaria de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde. É o principal organizador do livro Medicina Ambulatorial, Condutas de Atenção Primária Baseada em Evidências, agora em sua 4ª edição, e utilizado largamente nas faculdades de medicina e pelas equipes de atenção primária à saúde no país.
Erno Harzheim, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), doutorado em Medicina Preventiva e Saúde Pública pela Universidade de Alicante (2004) e pós-doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é professor adjunto e representante do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Familia e Comunidade, atuando principalmente nos seguintes temas: medicina de família e comunidade, epidemiologia, atenção primária, avaliação de serviços de saúde, telemedicina e telessaúde.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Referências

Starfield B, Shi L, Macinko J. Contribution of Primary Care to Health Systems and Health. Milbank Q. 2005; 83: 457-502. PMid:16202000 PMCid:PMC2690145. http://dx.doi.org/10.1111/j.1468-0009.2005.00409.x

Shi L, Macinko J, Starfield B, Politzer R, Xu J. Primary care, race, and mortality in US states. Soc Sci Med. 2005; 61: 65-75. PMid:15847962. http://dx.doi.org/10.1016/j.socscimed.2004.11.056

Campbell S, Roland M, Buetow S. Defining quality of care. Soc Sci Med. 2000; 51: 1611-25.

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: Organização das Nações Unidas para a Educação; Ministério da Saúde; 2002.

Haggerty J, Burge F, Levesque JF, Gass D, Pineault R, Beaulieu MD, et al. Operational definitions of attributes of primary health care: consensus among Canadian experts. Ann Fam Med. 2007; 5: 336-44. PMid:17664500 PMCid:PMC1934980. http://dx.doi.org/10.1370/afm.682

Hussey PS, De Vries H, Romley J, Wang MC, Chen SS, Shekelle PG, et al. A systematic review of health care efficiency measures. Health Serv Res. 2009; 44: 784-805. PMid:19187184 PMCid:PMC2699907. http://dx.doi.org/10.1111/j.1475-6773.2008.00942.x

Ohman-Strickland PA, John OA, Nutting PA, Dickinson WP, Scott-Cawiezell J, Hahn K, et al. Measuring organizational attributes of primary care practices: development of a new instrument. Health Serv Res. 2007; 42: 1257-73. PMid:17489913 PMCid:PMC1955254. http://dx.doi.org/10.1111/j.1475-6773.2006.00644.x

Mead N, Bower P, Roland M. The General Practice Assessment Questionnaire (GPAQ)-development and psychometric characteristics. BMC Fam Pract. 2008; 9: 13. PMid:18289385 PMCid:PMC2277420. http://dx.doi.org/10.1186/1471-2296-9-13

Shi L, Starfield B, Xu J. Validating the Adult Primary Care Assessment Tool. J Fam Pract. 2001; 50: 161W-175W.

Malouin R, Starfield B, Sepulveda M. Evaluating the tools used to assess the medical home. Manag Care. 2009; 18(6):44-8. PMid:19569570.

Cassady C, Starfield B, Hurtado M, Berk R, Nanda J, Friedenberg L. Measuring consumer experiences with primary care. Pediatrics. 2000; 105:998-1003.

Starfield B, Shi L. Manual for the Primary Care Assessment Tools. Baltimore: Johns Hopkins University; 2002.

Harzheim E, Starfield B, Rajmil L, Álvarez-Dardet C, Stein A. Internal consistency and reliability of Primary Care Assessment Tool (PCATool-Brasil) for child health services. Cad Saude Pública. 2006; 22(8): 1649-59. PMid:16832536. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2006000800013

Harzheim E, Gonçalves MR, Oliveira MMC, Trindade TG, Agostinho MR, Hauser L. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool PCATool - Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2010. [acesso em 30 mar 2013]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/manual_instrumento_avaliacao.pdf

Almeida C, Macinko J. Validação de uma metodologia de avaliação rápida das características organizacionais e do desempenho dos serviços de atenção básica do Sistema Único de Saúde (SUS) em nível local. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde; 2006.

Pasarin MI, Berra S, Rajmil L, Solans M, Borrell C, Starfield B. [An instrument to evaluate primary health care from the population perspective] (in Spanish). Aten Primaria. 2007; 39: 395-401. PMid:17692225. http://dx.doi.org/10.1157/13108612

Haggerty JL, Pineault R, Beaulieu MD, Brunelle Y, Gauthier J, Goulet F, et al. Practice features associated with patient-reported accessibility, continuity, and coordination of primary health care. Ann Fam Med. 2008; 6: 116-23. PMid:18332403 PMCid:PMC2267415. http://dx.doi.org/10.1370/afm.802

Lee JH, Choi YJ, Sung NJ, Kim S, Chung SH, Kim J, et al. Development of the Korean primary care assessment tool--measuring user experience: tests of data quality and measurement performance. Int J Qual Health Care. 2009 Apr; 21(2): 103-11. PMid:19286829. http://dx.doi.org/10.1093/intqhc/mzp007

Wong SY, Kung K, Griffiths SM, Carthy T, Wong MC, Lo SV, et al. Comparison of primary care experiences among adults in general outpatient clinics and private general practice clinics in Hong Kong. BMC Public Health. 2010; 10: 397. PMid:20602806 PMCid:PMC2908092. http://dx.doi.org/10.1186/1471-2458-10-397

Berra S, Audisio Y, Mántaras J, Nicora V, Mamondi V, Starfield B. Adaptación cultural y al sistema de salud argentino del conjunto de instrumentos para la evaluación de la atención primaria en salud. Rev. Argent. Salud Publica 2011; 2(8): 6-14.

Puerto Rico Health Services Research Institute. Development of a Spanish Version of the Primary Care Assessment Tool (PCAT). [acesso em 31 mar 2012]. Disponível em: prhsri.rcm.upr.edu/recentpro.html

Pizanelli M, Ponzo J, Buglioli M, Toledo A, Casinelli M, Gómez A. Validación de Primary Care Assessment Tool (PCAT) en Uruguay. Rev Med Urug. 2011; 27(3): 187-189.

Jatrana S, Crampton P, Richardson K. Continuity of care with general practitioners in New Zealand: results from SoFIE-Primary Care. N Z Med J. 2011 Feb 11; 124(1329): 16-25. PMid:21475356.

Tsai J, Shi L, Yu WL, Hung LM, Lebrun LA. Physician specialty and the quality of medical care experiences in the context of the Taiwan national health insurance system. J Am Board Fam Med. 2010; 23(3): 402-12. PMid:20453187. http://dx.doi.org/10.3122/jabfm.2010.03.090222

Berra S, Rocha KB, Sanz MR, Pasarín MI, Rajmil L, Borrel C, et al. Properties of a short questionnaire for assessing Primary Care experiences for children in a population survey. BMC Public Health. 2011; 11: 285.

Macinko J, Starfield B, Shi L. The contribution of primary care systems to health outcomes within Organization for Economic Cooperation and Development (OECD) countries, 1970-1998. Health Serv Res. 2003; 38: 831-65. PMid:12822915 PMCid:PMC1360919. http://dx.doi.org/10.1111/1475-6773.00149

Harzheim E, Duncan B, Stein A, Cunha C, Goncalves M, Trindade T, et al. Quality and effectiveness of different approaches to primary care delivery in Brazil. BMC Health Serv Res. 2006; 5(6): 156. PMid:17147819 PMCid:PMC1790713. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-6-156

Streiner DL, Norman GR. Health Measurement Scales: A Practical Guide to Their Development and Use. 4th ed. Oxford University Press; 2008.

Publicado
2013-09-16
Como Citar
Hauser, L., Castro, R. C. L. de, Vigo, Álvaro, Trindade, T. G. da, Gonçalves, M. R., Stein, A. T., Duncan, B. B., & Harzheim, E. (2013). Tradução, adaptação, validade e medidas de fidedignidade do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária à Saúde (PCATool) no Brasil: versão profissionais de saúde. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 8(29), 244-255. https://doi.org/10.5712/rbmfc8(29)821
Seção
Artigos de Pesquisa