Avaliação da qualidade do cuidado a idosos nos serviços da rede pública de atenção primária à saúde de Porto Alegre, Brasil

  • Elise Botteselle de Oliveira Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Mary Clarisse Bozzetti Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Lisiane Hauser Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Bruce Bartholow Duncan Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Erno Harzheim Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Envelhecimento da População, Idoso, Morbidade, Avaliação de Serviços de Saúde

Resumo

Introdução: O envelhecimento populacional gera maiores necessidades em saúde e torna-se um desafio para os serviços de saúde. A Atenção Primária à Saúde (APS) tem papel fundamental na promoção do envelhecimento saudável e no controle das multimorbidades. Objetivo: Avaliar a qualidade dos serviços públicos provedores de APS em Porto Alegre-RS, Brasil, na prestação do cuidado aos idosos. Métodos: Estudo transversal de base populacional, realizado em 2007, que entrevistou 212 idosos atendidos nos quatro tipos de serviços públicos da cidade: as unidades Básicas de Saúde, as equipes da Estratégia Saúde da Família, o Serviço de Saúde Comunitária do Grupo Hospitalar Conceição (SSC-GHC) e o Centro de Saúde Escola Murialdo. Resultados: Houve diferença significativa para os atributos Acesso-utilização, Longitudinalidade, Coordenação do cuidado e dos sistemas de informações, e Orientação familiar e comunitária. O SSC-GHC apresentou uma prevalência de 55,8% (p<0,001) do alto escore geral de APS, números superiores aos demais serviços. O escore geral das práticas preventivas mostrou uma diferença significativa quando foram comparados os serviços em relação ao escore geral de APS, com média de 3,9 (IC 95%=3,60-4,32) entre os idosos que referiram baixo escore e 5,9 (IC 95%=5,3-6,5) entre os que referiram alto escore. Discussão: Os resultados mostram escores baixos em todos os tipos de serviços. Os serviços com alto escore geral de APS apresentam prevalências maiores de práticas preventivas. Conclusões: Serviços orientados à APS apresentam-se mais efetivos e oferecem melhores cuidados preventivos recomendados para os idosos.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Elise Botteselle de Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em medicina pela Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre (2005) e Residência Médica em Medicina de Família e Comunidade pelo Hospital de Clínicas de Porto Alegre (2008).
Mary Clarisse Bozzetti, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Medicina pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1980), mestrado em Epidemiologia (Master of Sciences) - University of Toronto (1993) e doutorado em Medicina: Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1996). Atualmente é professor associado II da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, professor colaborador da Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre e professora colaboradora - Santa Casa de Misericórdia do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia, atuando principalmente nos seguintes temas: papilomavírus humano, human papillomavirus, cervical cancer, epidemiologia e epidemiology.
Lisiane Hauser, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008) e mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Atualmente realizando doutorado em Epidemiologia na UFRGS e consultora em Estatística do projeto Telemática e Telemedicina em Apoio à Atenção Primária à Saúde no Brasil: Pólo Rio Grande do Sul, um projeto de teleducação e teleassistência do Ministério da Saúde em parceria com 9 universidades do país. Participa do Grupo de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde de Porto Alegre.
Bruce Bartholow Duncan, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Medicina pela Johns Hopkins University (1979), graduação em Economia (Bacharel) pelo Williams College (1971), mestrado em Public Health (MPH) pela Johns Hopkins University (1979), doutorado em Medicina: Ciências Médicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1991) e pós-doutorado em Epidemiologia pela University of North Carolina (1993). É professor associado da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, adjunct assistant professor da University of North Carolina (1999-2016) e membro do Comitê Técnico Assessor das Doenças e Agravos Não Transmissíveis do Ministério da Saúde. Atua na área de Saúde Coletiva, com ênfase em Epidemiologia e foco nos seguintes temas: 1) diabetes mellitus, obesidade, e outros fatores de risco para doenças cardiovasculares 2) medicina baseada em evidências e 3) atenção primária à saúde. Mudou-se para o Brasil em 1983 e sua primeira linha de atuação visou difundir a então nova disciplina de epidemiologia clínica no país. Foi um dos proponentes da Medicina Baseada em Evidências no Brasil. Sua pesquisa, centrada em estudos multicêntricos nacionais e internacionais sobre diabetes, obesidade, inflamação, disfunção microvascular e doenças associadas, produziu &gt;170 artigos originais, muitos publicados em revistas de grande impacto na área como Lancet, BMJ, JAMA, Annals of Internal Medicine, Diabetes, Hypertension, American Journal of Epidemiology,e International Journal of Epidemiology. Foi um dos fundadores do PPG-Epidemiologia da UFRGS (nível 6 da CAPES). É um dos coordenadores do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto, e lidera um Centro Colaborador da Secretaria de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde. É o principal organizador do livro Medicina Ambulatorial, Condutas de Atenção Primária Baseada em Evidências, agora em sua 4ª edição, e utilizado largamente nas faculdades de medicina e pelas equipes de atenção primária à saúde no país.
Erno Harzheim, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), doutorado em Medicina Preventiva e Saúde Pública pela Universidade de Alicante (2004) e pós-doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é professor adjunto e representante do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Familia e Comunidade, atuando principalmente nos seguintes temas: medicina de família e comunidade, epidemiologia, atenção primária, avaliação de serviços de saúde, telemedicina e telessaúde.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Envelhecimento e saúde da pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. Cadernos de Atenção Básica, n. 19.

Brasil. Ministério da Saúde. Caderneta da saúde da pessoa idosa. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Carvalho JAM, Garcia RA. The aging process in the Brazilian population: a demographic approach. Cad Saúde Pública 2003; 19(3): 725-33 PMid:12806475. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2003000300005

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. [homepage na internet]. [acesso em 29 nov 2010]. Disponível em: www.ibge.com.br

Haggerty J, Fortin M, Beaulieu M, Hudon C, Loignon C, Préville M, et al. At the interface of community and healthcare systems: a longitudinal cohort study on evolving health and the impact of primary healthcare from the patient’s perspective. BMC Health Services Research 2010;10:258. PMid:20815880 PMCid:PMC2940881. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-10-258

Mendes EV. As redes de atenção à saúde. Belo Horizonte: ESP-MG; 2009.

Wagner EH. Chronic Disease Management: what will it take to improve care for chronic illness? Eff Clin Pract. 1998;1(1):2-4. PMid:10345255.

Lopéz MIV, Morata JLG, Jiménez MM, López MMV, Cavanillas AB. Intervenciones sanitarias en atención primaria que disminuyen la hospitalización por Ambulatory Care Sensitive Conditions en mayores de 65 a-os. Aten Primária 2007; 39(10): 525-34. http://dx.doi.org/10.1157/13110730

Starfield B. Atenção Primária: Equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO; Ministério da Saúde; 2002.

Brasil. Ministério da Saúde. Manual do instrumento de avaliação da atenção primária à saúde: primary care assessment tool pcatool – Brasil. Brasília: Ministério da Saúde; 2010.

Berra S, Rocha KB, Rodriguez-Sanz M, Pasarin MI, Rajmil L, Borell C, et al. Properties of a short questionnaire for assessing Primary Care experiences for children in a population survey. BMC Public Health 2011; 11(285). PMid:21554717 PMCid:PMC3103459.

Zurro AM, Perez JFC. Atención Primaria. 6. ed. Madrid: S.A. Elsevier Espa-a; 2008.

Grandes G, Sanchez A, Cortada JM, Balague L, Calderon C, Arrazola A, et al. Is integration of healthy lifestyle promotion into primary care feasible? Discussion and consensus sessions between clinicians and researchers. BMC Health Serv Res. 2008; 8(213): 1-12.

Healthy Lives, Healthy People: Our strategy for public health in England Presented to Parliament by the Secretary of State for Health by Command of Her Majesty. 2010.

Harzheim E, Duncan BD, Stein AT, Cunha CRH, Gonçalves MR, Trindade TG, et al. Quality and effectiveness of different approaches to primary care delivery in Brazil. BMC Health Serv Res. 2006; 6: 156. PMid:17147819 PMCid:PMC1790713. http://dx.doi.org/10.1186/1472-6963-6-156

Kloetzel K, Bertoni AM, Irazoqui MC, Santos RN, Campos VGC. Controle de qualidade em atenção primária à saúde. I – A satisfação do usuário. Cad Saúde Pública 1998; 14(3): 623-8 PMid:9761617. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X1998000300020

Demidenko E. Mixed Models Theory and Applications. New Jersey: John Wiley e Sons, Inc.; Hobokcn; 2004.

Riboldi J. Modelos Mistos Aplicados; 52° Reunião Anual da Região Brasileira da Sociedade Internacional de Biometria; 12° Simpósio de Estatística Aplicada à Experimentação Agronômica; 2007, Santa Maria. 2007.

Brown H, Prescott R. Applied Mixed Models in Medicine. 2nd ed. Chichester: John Wiley e Sons ed. 2006.

Littell RC, Milliken GA, Stroup WW, Wolfinger RD, Schanbenberger O. SAS for Mixed Models. Second ed. Cary: SAS Institute Inc; 2006. PMCid:PMC1569811

The GLIMMIX Procedure. SAS/STAT 9.1 User’s Guide. 2011.

Ferrante JM, Balasubramanian BA, Hudson SV, Crabtree BF. Principles of the Patient-Centered Medical Home and Preventive Services Delivery. Ann Fam Med. 2010; 8: 108-16. PMid:20212297 PMCid:PMC2834717. http://dx.doi.org/10.1370/afm.1080

Pandhi N, DeVoe JE, Schumacher JR, Bartels C, Thorpe CT, Thorpe JM, et al. Preventive service gains from first contact access in the primary care home. J Am Board Fam Med. 2011; 24(4): 351-9. PMid:21737759 PMCid:PMC3137250.

Piccini RX, Facchini LA, Tomasi E, Thumé E, Silveira DS, Siqueira FV, et al. Necessidades de saúde comuns aos idosos: efetividade na oferta e utilização em atenção básica à saúde. Ciênc Saúde Coletiva. 2006; 11(3): 657-67. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000300014

Paniz VMV, Fassa AG, Facchini LA, Bertoldi AD, Piccini RX, Tomasi E, et al. Acesso a medicamentos de uso contínuo em adultos e idosos nas regiões Sul e Nordeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2008 Feb; 24(2): 267-80. PMid:18278273. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2008000200005

Rodrigues PAM, Facchini LA, Piccinni RX, Tamasi E, Thumé E, Silveira DS, et al. Uso de serviços básicos de saúde por idosos portadores de condições crônicas. Lancet. 2009; 43(4): 604-12.

Thumé E, Facchini LA, Tomasi E, Vieira LAS. Home Health care for the elderly: associated factors and characteristics of access and health care. Rev Saúde Pública. 2010; 44(6): 1-9.

Oliveira MMC. Presença e extensão dos atributos da Atenção Primária à Saúde entre os serviços de Atenção Primária em Porto Alegre: uma análise agregada. [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007.

Chomatas E. Avaliação da presença e extensão os atributos da Atenção Primária na rede básica de saúde no município de Curitiba. [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007.

Elias PE, Ferreira CW, Cohn A, Kishima V, Escrivão A Jr, Gomes A, et al. Atenção Básica em Saúde: comparação entre PSF e UBS por estrato de exclusão social no município de São Paulo. Ciênc Saúde Coletiva. 2006; 11(3): 633-641. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000300012

Publicado
2013-09-23
Como Citar
Oliveira, E. B. de, Bozzetti, M. C., Hauser, L., Duncan, B. B., & Harzheim, E. (2013). Avaliação da qualidade do cuidado a idosos nos serviços da rede pública de atenção primária à saúde de Porto Alegre, Brasil. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 8(29), 264-273. https://doi.org/10.5712/rbmfc8(29)826
Seção
Artigos de Pesquisa