Avaliação da presença e extensão dos atributos da atenção primária em Curitiba

  • Eliane Chomatas Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. Curitiba, PR
  • Alvaro Vigo Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Inês Marty Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. Curitiba, PR
  • Lisiane Hauser Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
  • Erno Harzheim Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde, Avaliação de Serviços de Saúde, Programa Saúde da Família

Resumo

Os atributos da atenção primária à saúde (APS) - acesso, longitudinalidade, integralidade, coordenação, orientação familiar e comunitária e competência cultural - são reconhecidos como eixos estruturantes do processo de atenção, associados à qualidade dos serviços, à efetividade e à eficiência de suas intervenções. Foram investigadas a presença e a extensão dos atributos da APS no município de Curitiba, comparando unidades do modelo tradicional e Estratégia Saúde da Família (ESF), mediante o instrumento PCATool-Brasil aplicado a 490 médicos e enfermeiros. Os resultados indicam que na ESF os escores médios e o percentual de Alto Escore (?6,6) dos atributos longitudinalidade, integralidade dos serviços disponíveis e prestados, orientação familiar e orientação comunitária são significativamente maiores que nas unidades tradicionais, assim como para os atributos condensados nos escores Essencial, Derivado e Geral da APS. Os resultados evidenciam que em Curitiba as unidades com ESF possuem maior presença e extensão dos atributos da APS.

Métricas

Carregando Métricas ...

Biografia do Autor

Eliane Chomatas, Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. Curitiba, PR
Médica formada pela Faculdade Evabgélica de Medicina do Paraná em 1983, fez Residência Médica em Pediatria no Hospital Universitário Evangélico de Curitba é especialista em Gestão Estratégica de Serviços pela Fundação Getúlio Vargas e mestre em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.. Profissional de vínculo estatutário da Prefeitura Municipal de Curitba desde 1985, atuando como servidora pública na Secretaria Municipal de Saúde, desempenhou desde 1992 diversas funções gerenciais como :Autoridade Sanitária Local (gerente de Unidade de Saúde), Supervisora de Distrito Sanitário, Diretora, Superintendência de Gestão, ocupu o cargo de Secretária Municipal da Saúde de Curitibaa no período de abril de 2010 a dezembro de 2012 atualmente atuando no Centro de Informação em Saúde.. Nas produções técnicas participou da elaboração de diversos protoicolos clínicos e documentos que norteiam o processo de trabalho da Secretaria Municipal de Curitiba. Participou ativamente de vários Conselhos Locais de Saúde e desde 2003 foi Conselheira Municipal de Saúde, participando em quatro gestões da mesa diretora deste Conselho na função de 2ª Secretária, 1ª Secretária e Vice-Presidente .
Alvaro Vigo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Bacharel em Estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1989), Mestre em Estatística pela Universidade Estadual de Campinas (1994) e Doutor em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2004). Atualmente é professor Adjunto da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com experiência na área de Estatística Aplicada e Epidemiologia. Atua principalmente na área de análise de dados categóricos. É pesquisador do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil - http://www.elsa.org.br/).
Lisiane Hauser, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS
Possui graduação em Estatística pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008) e mestrado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2012). Atualmente realizando doutorado em Epidemiologia na UFRGS e consultora em Estatística do projeto Telemática e Telemedicina em Apoio à Atenção Primária à Saúde no Brasil: Pólo Rio Grande do Sul, um projeto de teleducação e teleassistência do Ministério da Saúde em parceria com 9 universidades do país. Participa do Grupo de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde de Porto Alegre.
Erno Harzheim, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Porto Alegre, RS

Possui graduação em Medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1998), doutorado em Medicina Preventiva e Saúde Pública pela Universidade de Alicante (2004) e pós-doutorado em Epidemiologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2006). Atualmente é professor adjunto e representante do Departamento de Medicina Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Medicina de Familia e Comunidade, atuando principalmente nos seguintes temas: medicina de família e comunidade, epidemiologia, atenção primária, avaliação de serviços de saúde, telemedicina e telessaúde.

Mais informações: Currículo Lattes - CNPq

Referências

Starfield B. Atenção primária: equilíbrio entre necessidades de saúde, serviços e tecnologia. Brasília: UNESCO, Ministério da Saúde; 2002. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_primaria_p1.pdf

Gené?Badia J, Ascaso C, Escaramis?Babiano G, Sampietro?Colom L, Catalan?Ramos A, Sans?Corrales M, et al. Personalised care, access, quality and team coordination are the main dimensions of family medicine output. Fam Pract. 2007 Fev; 24 (1): 41?7. PMid:17079249. http://dx.doi.org/10.1093/fampra/cml056

Haggerty J, Burge F, Lévesque JF, Gass D, Pineault R, Beaulieu MD, et al. Operational definitions of attributes of primary health care: consensus among Canadian experts. Ann Fam Med. 2007 Jul?Ago; 5(4): 336?44. http://dx.doi.org/10.1370%2Fafm.682

Brasil. Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde ? CONASEMS. Movimento sanitário brasileiro na década de 70: a participação das universidades e municípios ? Memórias. Brasília: Athalaia; 2007. 92 p. Disponível em: http://observasaude.fundap.sp.gov.br/BibliotecaPortal/Acervo/Controle%20e%20Participa%C3%A7%C3%A3o%20Social/Estudos%20e%20artigos%20correlatos/Lvr_MovSantDec70.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Relatório Final da 8th Conferência Nacional de Saúde; VIII Conferência Nacional de Saúde; 1986; Brasília. Brasília: MEC; 1986. Disponível em: http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/8_CNS_Anais.pdf

Brasil. Constituição 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal; 1988. [acesso em 18/12/2008]. Disponível em:

http://www.senado.gov.br/sf/legislacao/const/

Brasil. Ministério da Saúde. Saúde, Brasil. 147. ed. Brasília: Ministério da Saúde; 2008. Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/periodicos/saude_brasil_agosto_2008.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Atenção básica e a saúde da família: diretriz conceitual. Brasília: Ministério da Saúde; 2004. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/atencaobasica.php#diretriz

Ducci L. O sistema de saúde em Curitiba. In: Ducci L, Pedotti MA, Simão MG, Moysés SJ. Curitiba: a saúde de braços abertos. Rio de Janeiro: CEBES, Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba; 2001. p. 15?19.

Silveira AD Fº, Oliveira CA, Ribeiro EM, Lopes MGD. Programa Saúde da Família em Curitiba: estratégia de implementação da vigilância à saúde. In: Ducci L, Pedotti MA, Simão MG, Moysés SJ. Curitiba: a saúde de braços abertos. Rio de Janeiro: CEBES, Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba; 2001. p. 239?51.

Szwarcwald CL, Luhm KR, Oliveira VLA. “Vigiando” e promovendo a saúde no território municipal. In: Ducci L, Pedotti MA, Simão MG, Moysés SJ. Curitiba: a saúde de braços abertos. Rio de Janeiro: CEBES, Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba; 2001. p. 121?3.

Shi L, Starfield B, Xu J. Validating the adult primary care assessment tool. J Fam Pract. 2001; 50(2): 161?75.

Harzheim E, Duncan BB, Stein AT, Cunha CRH, Goncalves MR, Trindade TG, et al. Quality and effectiveness of different approaches to primary care delivery in Brazil. BMC Health Serv Res. 2006A; 6(156). PMid:17147819 PMCid:PMC1790713. http://dx.doi.org/10.1186/1472?6963?6?156

Harzheim E, Starfield B, Rajmil L, Alvarez?Dardet C, Stein AT. Consistência interna e confiabilidade da versão em português do Instrumento de Avaliação da Atenção Primária (PCATool?Brasil) para serviços de saúde infantil. Cad Saude Publica. 2006 Ago; 22(8): 1649?59. http://dx.doi.org/10.1590/S0102?311X2006000800013

Oliveira MMC. Presença e extensão dos atributos da atenção primária à saúde entre os serviços de atenção primária em Porto Alegre: uma análise agregada. [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2007. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/12649

Spiegelman D, Hertzmark E. Easy SAS calculations for risk or prevalence rations and differences. Am J Epidemiol. 2005 Ago; 162(3): 199?200. http://dx.doi.org/10.1093/aje/kwi188

Cunha CRH, Harzheim E, Duncan BB. Percepção da qualidade da atenção à saúde infantil pelos médicos e enfermeiros: comparação entre o Programa Saúde da Família e o modelo tradicional. [Dissertação]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2006. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/13684

Silva VS, Harzheim E, Castro ED Fº, Agostinho MR, Esperandio E, Soares GV, et al. Perfil dos profissionais que atuam na Estratégia Saúde da Família participantes do Projeto Telessaúde?RS. Rev HCPA. 2008; 28(Suppl):147. Disponível em: http://www.hcpa.ufrgs.br/content/view/1614/1123/

Guanais F, Macinko J. Primary care and avoidable hospitalizations: evidence from Brazil. J Ambul Care Manage. 2009; 32(2): 78?9. PMid:19305223. http://dx.doi.org/10.1097/JAC.0b013e31819942e51

Macinko J, Guanais F, Souza MFM. Evaluation of the impact of the Family Health Program on infant mortality in Brazil, 1990?2002. J Epidemiol Community Health. 2006; 60: 13?9. PMid:16361449 PMCid:PMC2465542. http://dx.doi.org/10.1136/jech.2005.038323

Macinko J, Almeida C, Sá PK. A rapid assessment methodology for the evaluation of primary care organization and performance in Brazil. Health Policy Plan. 2007; 22(3): 167?77. http://dx.doi.org/10.1093/heapol/czm008

Elias PE, Ferreira CW, Alves MCG, Cohr A, Kishima V, Escrivão A Jr, et al. Atenção básica em saúde: comparação entre PSF e UBS por estrato de exclusão social no município de São Paulo. Cad Saúde Pública. 2006 Jul?Set;11(3): 633?41. http://dx.doi.org/10.1590/S1413?81232006000300012

Ibañez N, Rocha JSY, Castro PC, Ribeiro MCSA, Forster AC, Novaes MHD, et al. Avaliação do desempenho da atenção básica no estado de São Paulo. Ciênc Saúde Coletiva. 2006 Jul?Set; 11(3): 683?703. http://dx.doi.org/10.1590/S1413?81232006000300016

Haggerty JL, Pineault R, Beaulieu MD, Brunnelle Y, Gauthier J, Goulet F, et al. Practice features associated with patient?reported accessibility, continuity and coordination of primary health care. Ann Fam Med. 2008; 6(2): 116?23. PMid:18332403 PMCid:PMC2267415. http://dx.doi.org/10.1370/afm.802

Souza ECF, Vilar RLA, Rocha NSPD, Uchoa AC, Rocha PM. Acesso e acolhimento na atenção básica: uma análise da percepção dos usuários e profissionais de saúde. Cad Saúde Pública. 2008; 24(Suppl 1):s100?s10. PMid:18660895. http://dx.doi.org/10.1590/S0102?311X2008001300015

Stralen CJ, Belisário SA, Stralen TBS, Lima AMD, Massote AW, Oliveira CL. Percepção dos usuários e profissionais de saúde sobre atenção básica: comparação entre unidades com e sem saúde da família na região centro?oeste do Brasil. Cad Saúde Pública. 2008; 24(Suppl 1): s148?s58. PMid:18660899. http://dx.doi.org/10.1590/S0102?311X2008001300019

Publicado
2013-10-08
Como Citar
Chomatas, E., Vigo, A., Marty, I., Hauser, L., & Harzheim, E. (2013). Avaliação da presença e extensão dos atributos da atenção primária em Curitiba. Revista Brasileira De Medicina De Família E Comunidade, 8(29), 294-303. https://doi.org/10.5712/rbmfc8(29)828
Seção
Artigos de Pesquisa